Rodoviários suspendem greve dos ônibus

Cidade - transportes - Greve dos Rodoviários - Guilherme Pinto - Extra

Os rodoviários do Rio decidiram encerrar a greve da categoria, que teve início na última sexta-feira (1). A volta ao trabalho foi aprovada durante assembleia na manhã de domingo.

Segundo o presidente do Sintraturb (Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus do Rio de Janeiro), José Carlos Santana, o movimento foi suspenso, mesmo sem que as reivindicações da categoria fossem atendidas, porque a entidade recebeu uma notificação judicial determinando que 80% da frota deveriam estar nas ruas.

A categoria pedia 23% de reajuste, mas após as primeiras negociações já aceita um aumento salarial de 15%. Os empresários mantém a proposta de 8% de reajuste. Motoristas pedem ainda a extinção da dupla função do motorista, também responsável por cobrar as passagens.

Os rodoviários também marcaram uma nova assembleia para discutir os rumos da campanha salarial na próxima quinta-feira, às 18h.

“Extorsão”

Se aproveitando da falta de ônibus na Zona Oeste, por causa da greve, motoristas de vans cobraram preços mais caros das passagens, especialmente na Zona Oeste. O secretário orientou os passageiros a denunciar os motoristas. “As vans podem ser identificadas pelo trajeto e pela placa. Estão se aproveitando de uma situação para ganhar um dinheiro fácil”, disse.

A tarifa das vans não é tabelada na cidade, mas o preço médio é de R$ 7. A cobrança de R$ 25 teria ocorrido por vans que fazem o trajeto entre Santa Cruz, Zona Oeste, e o Centro.

Ônibus são apedrejados na Zona Oeste

Diversos ônibus foram apedrejados quando saíam das garagens localizadas em Santa Cruz e Campo Grande, na Zona Oeste, na última sexta-feira (1). Os ônibus, que alimentam o BRT Transoeste, foram impedidos por grevistas de circular. É a primeira greve que atinge o sistema, desde a sua inauguração.

Foto: Guilherme Pinto/Extra

Comentários

comentários

Deixe um Comentário