Zona Oeste assume o poder na Câmara do Rio

Vereador Jorge Felippe foi reeleito presidente da mesa diretora

Na primeira sessão do novo período legislativo os vereadores deram a políticos da Zona Oeste os cargos de comando da Casa.

A nova Mesa Diretora da Câmara Municipal do Rio foi eleita na sessão extraordinária realizada no início do mês, no Plenário da Casa, com a seguinte composição: presidente, vereador Jorge Felippe (PMDB), 1° vice-presidente, vereador Luiz Carlos Ramos (PSDC), 2° vice-presidente, vereador Leonel Brizola Neto (PDT), 1° secretário, vereador Dr. Jairinho (PSC), 2° secretário, vereador Carlo Caiado (DEM), 1° Suplente, vereador Renato Moura (PTC) e 2° Suplente, vereadora Laura Carneiro (PTB). Na mesma solenidade foram empossados os 51 vereadores eleitos. Em seguida, o presidente da Casa, vereador Jorge Felippe, empossou o Prefeito Eduardo Paes que administrará a Cidade por mais quatro anos.

 

Em seu discurso, o vereador Jorge Felippe agradeceu aos parlamentares integrantes da nova Mesa Diretora que ficará responsável pela administração da instituição no biênio 2013/2014. “Agradeço também a cada um dos senhores vereadores que consignaram votos favoráveis à formação da nova Mesa Diretora desta Câmara Municipal. Agradeço aos partidos políticos representados nesta Casa por suas respectivas bancadas, pelo diálogo permanente e em particular ao PMDB e sua bancada por ter nos escolhido para ocupar este relevante posto na história política de nossa cidade”, disse o parlamentar.

 

Para os próximos dois anos, a prioridade da nova Mesa Diretora será contratar técnicos para as Comissões Permanentes. “Vamos fazer um concurso público para atender os setores da Casa que hoje têm uma deficiência de técnicos nas mais variadas áreas”, anunciou Jorge Felippe. O Presidente da Casa também falou sobre o funcionamento do Legislativo Municipal no Palácio Pedro Ernesto.  Um recente levantamento concluiu que é inviável a permanência do Parlamento neste espaço. “Vou convocar todos os vereadores eleitos para essa discussão e ainda para agilizar os procedimentos na aprovação dos projetos que tramitam na Câmara, dando assim maior celeridade ao Legislativo e proporcionando à cidade leis adequadas que contribuam para a melhoria da qualidade de vida da população”, concluiu.

 

  

Comentários

comentários

Deixe um Comentário