Parabéns ao Gigante da Zona Oeste

O Bangu tem também a sua história e sua glória. E como tem, nesta quarta (17) o Gigante da Zona Oeste que foi fundado em 17 de abril de 1904, completa 109 anos de muitas glórias, grandes feitos e belas histórias para contar.

Bangu de Thomas Donohoe, Andrew Procter, Domingos da Guia, Claudionor Corrêa, Américo Pastor, José de Mattos, Benedito Dantas, Frederico Pinheiro, Zizinho, Zózimo, Luiz Vinhaes, Calazans, Tião, Hilton, Ernâni, Décio Esteves, Mário Tito, Aladim, Ubirajara, Fidélis, Paulo Borges, Alfredo Gonzalez, Bianchini, Tim, Mário, Marinho, Moacir Bueno, Nilton dos Santos, Ladislau da Guia, Luiz da Guia, Nívio Gabrich, Arthurzinho, Moisés, Gilmar, Euclides, Ademir Batista, Mauro Galvão, Ari Clemente, Fausto dos Santos, Médio da Guia, Plácido, Cláudio Adão, Dé, Baby, Ado, Nando, Gilson Paulino, Jaime, Cabralzinho, Jair, Ênio, Mário Marques, Fernando Macaé, Paulinho Criciúma, Márcio Rossini, Macula, Ézio, Wágner, Marcão, André Biquinho, Jorge Luís, Serginho, Ângelo, Sorato, Humberto, Naílton, Fabiano Silva, Zada, João Rodrigo, Haroldo, Wellington Monteiro, Alexandre, Mauro, Léo, Odvan, Léo Fortunato, Alfredo Sampaio, Abílio, Tiano, Roy, Mazolinha, Cleimar Rocha, Pipico, Thiago Galhardo, Bruno Luiz, Sérgio Júnior, Castor de Andrade, Dom Eusébio Scheid, Jorge Amado, Pedro Porfírio, Sidney Rezende, Nuno Leal Maia, Maria e Rubens Melido, Antônio Holanda da Silva, Daniel Pinheiro, Fabíola Mello, Catarina, Fábio Labre, Wagner Ferreira, Clécio Régis, Beto do Urso, Coronel, Vitor Moniz, Maria Pimenta, Celso de Medeiros, Gustavo de Medeiros, Victor  Satiro de Medeiros, Fabrício Abreu, Leandro Ferreira, Delson Manffrinato, Leonardo Gama, Wladimir Mutt, Sérgio Kazú, Carlos Molinari, Ronald Ferraz, Dedei Famoso, Jonathan Ferreira, Wander Florêncio, Renan Herbster, Eduardo Lopes, Alexandre Martins, Paulo Pereira, Sandro Setubal, Pedro Paulo Bustamante, Fabio Menezes, Luciano Tadeu, Álvaro Francisco, Luiz Antônio Vila Flor e muitos outros personagens importantes que a minha memória fraca mesmo aos 26 anos de idade me faz esquecer. Perdoem-me os que esqueci de citar.

Um clube pioneiro, primeiro clube a escalar um atleta negro, participante do primeiro Campeonato Carioca, primeiro Campeão Carioca de Futebol Profissional, primeiro a ser campeão no Maracanã, primeiro a ter patrocínio na camisa, primeiro a ter um mascote na camisa, primeiro a ter vínculo informal com uma escola de samba, primeiro a ter três uniformes, primeiro Campeão do Torneio Início de Futebol.

Ufa!!! , Além de todos esses grandes personagens e feitos que engrandecem o clube, não posso esquecer de falar de suas glórias também.

O Banguzão tem 2 Cariocas, 6 Vices Carioca, 1 Taça Rio, 4 Torneio Início, 1 Taça Orlando Leal Carneiro, 1 International Soccer League, 1 Copa dos Campeões Estaduais, 3 Cariocas da Série B, 1 Vice Brasileiro e mais outros tantos títulos, torneios e honrarias conquistados pelo clube.

Para homenagear essa data tão especial a equipe do Folha da Terra coletou depoimentos de personagens que tem uma ligação forte com o clube, para que falassem um pouco sobre o que é o Bangu? O que é ser Bangu?

Segue abaixo alguns desses depoimentos:

 “ O Bangu é onde fui criado, onde aprendi muita coisa. Eu saí do Bangu em 2001, mas nunca deixei de acompanhar esse clube. Gosto muito desse lugar, gosto muito desse clube. E gosto de coração mesmo, podem falar que estou mal ali ou aqui, mas, por favor, nunca digam que estou jogando sem vontade. Estou muito triste por não poder estar em Minas com meus companheiros, triste de verdade e nesses 109  anos de Bangu, espero que o clube tenha mais um ótimo ano. Fico muito feliz em  ser uma pequena parte dessa história “  André Barreto, jogador e capitão da equipe.

“ O Bangu é o time onde tive o prazer de jogar pelos juniores e me profissionalizar, foi o clube que abriu as portas para a minha vida profissional. Sou apaixonado pelas cores do Bangu, além de ser morador do Bairro”  Sérgio Kazú, coordenador técnico das categorias de base  do Bangu F7.

“ O Bangu é um dos times de grande tradição do Rio de Janeiro, afinal foi um dos primeiros times do Brasil e pioneiro em várias coisas, como por exemplo, o primeiro time a ter aceitado um jogador negro.  Eu acho muito gratificante jogar pelo Bangu, foi o clube que mais me abriu as portas, sem contar a beleza da torcida banguense, onde na arquibancada festa é com eles mesmo”   Raphael Mesquita, jogador da equipe Sub-20 do Bangu.

“ Bangu pra mim simboliza toda a paixão que eu sinto pelo futebol. Toda a vontade que eu sempre tive de viver o futebol eu realizei no Bangu. Simboliza ter atitude e coragem de dizer o que eu sou e não me esconder atrás de títulos para ser socialmente aceitável. Não tenho um segundo time, eu sou Bangu”  Vitor Moniz, DJ e torcedor fanático do clube.

” O Bangu pra mim é o clube que me ofereceu a oportunidade de conhecer na prática o que é o futebol e como é essa emoção de estar no lado da comissão e no lado da torcida. Apesar das dificuldades que o clube enfrenta, é gratificante ver o apoio que os apaixonados pelo Alvirrubro nos dão nas alegrias e nas tristezas.”  João Carlos Gomes, assessor de imprensa do Bangu.

“ É inevitável crescer em Bangu e não torcer pelo Bangu. As pessoas vivem o time, com um orgulho que vai muito além de vencer ou não vencer um jogo de futebol”  Carollyne Lage, documentarista e torcedora do clube.

“ O Bangu é o clube que eu iniciei minha carreira como atleta, tive passagens e oportunidades grandiosas, disputei um Campeonato Brasileiro pelo Bangu e foi pelo Bangu que tive a oportunidade de começar uma nova experiência como treinador.  Eu só guardo coisa boas sobre o Bangu, a torcida, o bairro e os funcionários. Eu gostaria de deixar os parabéns para o Bangu, que foi de grande importância para a minha vida”  Marcão, ex- jogador e ex-treinador do clube.

“ Eu tenho um elo muito grande com o Bangu, um clube no qual me deu a última oportunidade para me tornar profissional, acabei sendo feliz, aprovado no teste. Com o Bangu já vivi grandes emoções, primeiro carioca, primeiro jogo no Maracanã, Engenhão, primeira vitória, empate, derrota, gol, enfim, já passei de TUDO. Acho que o ápice meu e do clube foi no ano passado, o propósito de tirar o clube do fundo do poço, 7 jogos e 7 derrotas. Voltei, ajudei , realizei mais um sonho que foi jogar com meu irmão profissionalmente. Porém INFELIZMENTE, eles não reconhecem o esforço e não sabem valorizar os pratas da casa, dar prosseguimento, meu irmão ano passado que era uma promessa, hoje já não é realidade. Diante disso tudo eu agradeço sim a INSTITUIÇÃO BANGU por tudo e parabenizo pelos 109 anos de existência. Tenho certeza de que sairão muitos bons jogadores de lá ainda. Parabéns Bangu”  Thiago Galhardo,ex- jogador do clube,atualmente jogador do Remo.

“ O Bangu é o negro no futebol, é o operário vivendo no fascismo, é o índio no oeste americano, é a mulher na fabrica. Bangu é o clube do impossível, diziam que era impossível um clube do subúrbio bater de frente com os da zona sul, e fomos campeões na casa deles, diziam que era impossível escapar do rebaixamento em 2012 e nós fomos para a semi-final. Bangu tem uma das histórias mais lindas do futebol mundial, e ele é o representante da zona oeste, os que torcem pelos clubes da mídia jamais vão saber essa sensação, de torcer pelo clube do seu bairro, de ir ao estádio pelo simples prazer de ver essa camisa alvirrubra entrar em campo, e não ligando para os jogadores de hoje que nem chegam perto dos craques dos anos 60 e 80. O Banguense sabe o peso dessa camisa, o valor dessa instituição, sabe que aqui nessa terra nasceu o nosso esporte bretão, não importa o tamanho da queda, não abandonamos o nosso amor, porque o branco representa a alma e o vermelho sangue e coração, somos Bangu, eternamente Bangu! ”  Alexandre Martins, membro da liderança do Movimento Castores da Guilherme.

 

Foto: Arquivo pessoal 

                               {flike}

 

 

 

 

 

Comentários

comentários

Deixe um Comentário