ACADÊMICOS DE SANTA CRUZ APRESENTOU SEU ENREDO PARA O CARNAVAL 2014

Na segunda-feira, 15 de julho, em entrevista coletiva, o presidente da Acadêmicos de Santa Cruz Zezo, revelou que o enredo da escola para o Carnaval de 2014 é a cidade de Jundiaí, no interior de São Paulo. O título do enredo é: “Do toque do criador à cidade saudável do Brasil – Jundiaí, uma referência nacional”.

Segundo o presidente o enredo vai abordar Jundiaí como referência na qualidade de vida no Brasil. Jundiaí dista 57,7 quilômetros da capital do estado de São Paulo e possui cerca de 370.126 habitantes.

Eis a Sinopse do enredo

 

 

Do Toque do Criador à Cidade Mais Saudável do Brasil. Jundiaí, uma Referência Nacional.

CRIAÇÃO
 
Das mãos do Criador nasce paraísos…
 
Um Deus maior e soberano em um dia de inspiração divina fez do vazio uma abençoada terra de prosperidade, e com um toque mágico encheu de cores e di jeitinho certo fez nascer.
 
OS PRIMEIROS HABITANTES

Terra essa habitada por um povo indígena de origem tupi-guarani, os “Curuquins”, povo este guerreiro e destemido, e também exímios pescadores. Organizavam-se em aldeia e cada cabana era habitada por mais de uma família mostrando um espírito único. Seu principal meio de subsistência era a pesca de Bagre abundante na região, daí surgiu o nome “JUNDIAÍ” como é conhecida, (vindo da palavra YUNDIÁ, de origem tupi-guarani) que para a língua portuguesa “JUNDIÁ” que significa “bagres” e “Y” que significa “Rio”.
 
OS PRIMEIROS COLONIZADORES

Chegaram à região seguindo o processo de interiorização. Raphael de Oliveira e Petronilia Rodrigues Antunes que, por motivações políticas, fugiram de São Paulo e refugiaram-se nos arredores fundando a Freguesia de Nossa Senhora do Desterro. Esses colonizadores afugentaram os Grupos Indígenas, que cada vez mais se embrenharam na mata, por isso afirmamos que a origem de Jundiaí está ligada diretamente ao movimento bandeirante, principal responsável pela criação do portal do sertão.
 
O maior símbolo deste núcleo colonial foi a “árvore lendária”, uma figueira gigantesca que existiu na região central da colônia, foi considerada e tornou-se lendária ao cumprir, nos primeiros tempos, a função de “alojamento” dos imigrantes.
 
DE LUGAREJO À CIDADE

Com o passar do tempo, o lugarejo foi ficando cada vez mais populoso, tornando-se necessário implementar um núcleo denominado “Fazendinha”, que mais tarde serviu como referência para execução de estradas, fatos que impulsionaram o crescimento elevando o até então lugarejo ao status de cidade. Coma decadência do ciclo da cana-de-açúcar no Brasil, a produção cafeeira ganhou força, e isso promoveu ainda mais o crescimento, junto com o café vieram as primeiras indústrias.
 
O MARCO IMPORTANTE PARA A CIDADE

Festejado na época pela banda que tocou o dobrado foi a chegada da “Ferrovia Santos-Jundiaí”; na época observava-se a crise do escravismo no Brasil, neste contexto, os produtores rurais passaram a buscar novos trabalhadores e assim teve início o amplo processo de imigração, os primeiros foram os italianos que com sua mão de obra criaram raízes misturando-se ao povo local onde sua inconfundível simpatia, também onde se encontra a maior colônia em território nacional, logo após chegaram os japoneses com sua cultura e seu grande conhecimento agrônomo cirando um grande cinturão verde ao redor da cidade; os últimos a chegarem foram os portugueses que enriqueceram a cidade com sua culinária.
 
JUNDIAÍ, PRINCIPAL CIDADE DO CIRCUITO DAS FRUTAS

É conhecida como a terra do morango e da uva, onde é fácil encontrar uma adega de vinhos a cada esquina, mesmo que seja com um toque de morango; na cidade são realizadas anualmente, de maneira intercalada, as festas do morango e da uva, reconhecidas nacionalmente.
 
Jundiaí observa características de cidade do interior aliada à modernidade e conforto de uma metrópole.
 
A SERRA DO JAPI

Parte de seu território e que também é conhecida como “castelo das águas” devido a sua riqueza hídrica, foi tombado como patrimônio mundial e declarada pela UNESCO como “Reserva de Biosfera de Mata Atlântica” na ECO 92, na cidade do Rio de Janeiro.
 
O DESENVOLVIMENTO CHEGA A CIDADE

Jundiaí destaca-se atualmente no desenvolvimento das aeras ambiental, cultural e tecnológica. Há ótimas ofertas de áreas verdes, bairros tranquilos e excelentes parques municipais. Além disso, o clima da região é considerado o terceiro melhor do país, o que garante o conforto dos moradores durante todas as estações do ano e o privilégio de viver com a natureza a seus pés. A cidade prima pela qualidade de vida e fatores sociais; por tudo isso recebeu o título de cidade saudável pela Universidade de Toronto (Canadá).
 
QUALIDADE DE VIDA

A indústria do lazer fortalece a economia da cidade, variedade de teatros e parques temáticos que atraem turistas e geram empregos.
 
O cidadão munícipe é muito acalorado e em seus dias de lazer, que são feitos de muito amor e paixão; seja ele torcendo por sua agremiação carnavalesca ou pelo time do coração: O Paulista de Jundiaí!
 
O CORAÇÃO AGORA PULSA FORTE

O que é falar de Jundiaí, sem deixar de mencionar um dos maiores parques industriais da América Latina? A cidade tem plena certeza que agora sua vocação tornou-se realidade com grandes rodovias para escoamentos circundando e cortando seus limites. Assim podemos afirmar que Jundiaí hoje é uma referência nacional.
 

Autor do enredo: Daniel Ghanem

{loadposition folhadaterra-posicao10}

{jcomments on}