Moradores dos Jesuítas pedem revitalização das pontes do bairro

A Secretaria de Conservação e Serviços Públicos, por meio da Gerência de Monumentos e Chafarizes, realizou serviços de revitalização da Ponte dos Jesuítas, em Santa Cruz. Limpeza das pichações capina do calçamento em pé de moleque, recuperação de trechos do monumento e pintura à base de cal foram as principais ações.

Monumento histórico nacional, a Ponte foi à primeira obra de engenharia hidráulica da América Latina e data de 1752. Ela é um monumento de interesse histórico e também artístico, já que sua ornamentação conta com colunas de granito com capitéis em forma de pinhas portuguesas.

A ponte conhecida hoje como “Ponte dos Jesuítas” era chamada de “Ponte do Guandu” e foi construída em 1752 pelos Jesuítas que usavam madeiras para reter e soltar a água que vinham do rio Guandu, com a finalidade de regular o volume da água construíram a ponte. Além disso, a Ponte dos Jesuítas exibe em sua parte central um brasão com o símbolo da Companhia de Jesus (IHS) e frases em latim clássico.

A ação não foi entendida por alguns moradores que reclamam do descaso com as principais pontes de acesso ao bairro.  Segundo o morador, Sebastião Jorge da Silva (43) há mais de 10 anos que ele não vê nenhum órgão competente fazendo reparos nas pontes por onde passa grande parte de veículos que transitam pelo bairro, inclusive caminhões de carga.
A ponte que liga a Estrada do Curtume com a Estrada do Frutuoso passando por cima de um córrego deixa os moradores inseguros pelos buracos no asfalto e pela falta de proteção nas laterais da pilastra de proteção. O risco de uma pessoa cair é muito grande, principalmente as crianças que caminham pela estrada. Devido a isso os moradores estranham a revitalização só da ponte histórica e continuam pedindo o reparo das outras.

{jcomments on}

{loadposition folhadaterra-posicao10}