Obra do BRT na Estrada do Monteiro inviabiliza comerciantes em Campo Grande

Mas um grupo de empresários da Zona Oeste está ameaçado de falência pela demora na conclusão de uma obra. Desta feita é a obra de construção da estação do BRT projetada para a Estrada do Monteiro esquina com a Avenida Cesário de Melo, centro de Campo Grande.

 Iniciada há mais de 1 ano a obra ficou paralisada um longo tempo e retornou lentamente. O subprefeito da Zona Oeste Edmar Teixeira, disse há três meses, que as treze estações restantes estariam prontas em 2 meses. A nova construtora é a Mascarenhas Engenharia Ltda. que não fala sobre o assunto. A Secretaria Municipal de Obras fala o que convém. O Portal da Transparência no Site da Prefeitura não disponibiliza os dados referentes ao contrato, nem quanto já liberou de verbas para o projeto. Sem essas informações a população não pode evitar que mais um caso Delta aconteça. As liberações deveriam ser proporcionais ao andamento da obra.

Alguns comerciantes já fecharam as portas no local. Outros amargam perda de aproximadamente 50% no faturamento. Em alguns casos a perda já chegou a 90% e o negócio está praticamente inviabilizado, se sustentando apenas na capacidade financeira do proprietário que ainda tenta manter o ponto. A obra de reurbanização da Estrada da Caroba, também em Campo Grande, demorou mais de dois anos e levou à falências vários comerciantes. Quem suportou ainda luta para trazer de volta o público que desistiu de consumir no local.

Na Estrada do Monteiro, mesmo aqueles que resistirem à crise terão que tomar medidas para compensar a descaracterização da área: “Perdemos nossas calçadas; não temos mais como praticar a caga e descarga; os transeuntes também não terão por onde caminhar e vão evitar o local”, disseram. Essa estação fica a 200 metros de uma outra na Avenida Cesário de Melo e segundo a opinião pública local não tem justificativa. Outras estações mal projetadas sofreram pressão da sociedade local e tiveram as obras paralisadas sem que ninguém respondesse pelo prejuízo caudado aos cofres públicos. O Ministério Público está apurando irregularidades no desenvolvimento do projeto dos BRT’s.

{loadposition folhadaterra-psicao10}

{jcomments on}  

Comentários

comentários

Deixe um Comentário