Hospital Rocha Faria oferece Shantala e ofurô para bebês

Acalmar um bebê recém-nascido, evitar cólicas, além de criar um momento único entre as mães e seus filhos são as principais vantagens da Shantala, técnica oriental de massagem. A partir deste mês, as mamães que tiverem seus bebês na maternidade do Hospital Estadual Rocha Faria vão passar a receber dicas sobre como massagear a criança, que produtos usar no tratamento ou qual a melhor posição para mãe e filho aproveitarem ao máximo esse momento.

 

– A mãe coloca o bebê apoiado nas próprias pernas, de frente para ela. Depois, retira a parte de baixo da roupa do bebê, coloca um pouco de óleo nas mãos, esfrega uma palma da mão na outra, e começa a massagem pelos pés da criança, deslizando cuidadosamente os dedos e as palmas das mãos. Depois, passa pelas pernas, dorso e bumbum. É necessário respeitar o limite da criança, tem dia que ela não vai querer. Mas se ele abrir os braços, por exemplo, é sinal livre para prosseguir no cuidado – explica a enfermeira Denise Mello, que ensina as técnicas da Shantala na unidade.

 

Ela acrescenta que nas regiões do tórax, abdome e no rosto do bebê, as mães devem apenas fazer carinhos e não massagem, e ressalta que as sessões não precisam ser muito longas. O que importa é ter um tempo dedicado exclusivamente à criança.

 

Ofurô 

 

Além da Shantala, a equipe da maternidade ensina ainda como dar banho nos bebês num ofurô feito com baldinhos e água morna, acalmando os recém-nascidos e estreitando laços entre mães e filhos.

 

– Nunca tinha dado banho nele antes, ficava com medo, ele é muito molinho. Nem sei explicar o que senti. Foi uma emoção grande, deu vontade de chorar, mas fiquei mais tranquila para dar banho nele. E ele curtiu bastante, ficou bem mais calmo – conta Débora de Oliveira Bernardino, de 18 anos, ao banhar pela primeira vez o pequeno Nícolas, de três dias, que chegou a cochilar durante o banho.

 

Para utilizar a técnica, o balde onde o bebê será banhado deve ser esterilizado com sabão e álcool, antes de ser enchido com água morna, a 36º C, temperatura semelhante à do corpo humano e do líquido amniótico que envole o bebê no útero da mãe. Antes de colocar o bebê na água, é preciso verificar se todo o material necessário (sabonete, toalha, etc) está ao alcance das mãos.

 

– Como leva um tempo até que o recém-nascido se adapte à vida extra-uterina, o ofurô ajuda no desenvolvimento do bebê, relaxa e aquece. A mãe pode medir essa temperatura com a mão mesmo e nunca deve dar banho sozinha. Outra dica importante é: se o bebê fizer cocô antes do banho, deve ser limpo com algodão ou gaze antes de ser colocado no balde – alerta Denise

{loadposition folhadaterra-posicao10}

{jcomments on}

Comentários

comentários

Deixe um Comentário