A “bolsa Informal” surte o mesmo efeito da bolsa família. Dá voto.

Algo está dando errado na intenção do governo de incentivar jovens sem oportunidades a trilharem o caminho do empreendedorismo. Também está perdendo força a tentativa de capacitar mão de obra para atender a demanda de certos segmentos industriais e, principalmente, das oportunidades que a Olimpíada 2016 oferece.

Jovens e adultos estão preferindo ficar atrás de uma banca de camelô onde não tem compromissos com produtividade, do que se inscrever nos programas de capacitação oferecidos pelos governos federal, estaduais e municipais.

A liberdade é plena. Vale assistir televisão, cuidar da beleza, beber cerveja, cochilar e até, não atender o cliente. Não há para eles, preço que pague tamanha regalia.

A regra não é geral, entre eles uma minoria pensa em crescer e prosperar e aproveitar  a oportunidade para ganhar dinheiro e mudar de vida.

A facilidade que a sociedade brasileira tem para atuar na clandestinidade é tão grande que não entusiasma ninguém a mudar. 

A “bolsa Informal” surte o mesmo efeito da bolsa família. Dá voto. 

{loadposition folhadaterra-posicao10}

{jcomments on}