Cojes ouve reclamações sobre JEC de Bangu

Os problemas no XVII Juizado Especial Cível, localizado em Bangu, foram pauta da reunião da diretoria da subseção com a presidente da Comissão Judiciária de Articulação dos JECs (Cojes), desembargadora Ana Maria Pereira de Oliveira, na tarde desta segunda-feira, dia 26. Em discussão, a falta de magistrado, serventuários e estrutura física, o grande acervo da serventia e a baixa produtividade nos projetos de sentença, principalmente por conta da falta de Aviso de Recebimento (AR) na juntada de petições. Para acompanhar a situação de perto, a desembargadora prometeu visitar o Fórum de Bangu.
 
A subseção havia agendado uma manifestação na porta do fórum para reclamar sobre as precárias condições do XVII JEC, mas de acordo com o presidente da OAB/Bangu, Ronaldo Barros, o ato ficará suspenso até que aconteça a visita da presidente do Cojes. "Vamos aguardar este novo encontro. Acredito que nesta visita, a desembargadora já apresente alguma solução", afirma Barros.
 
Segundo o presidente da subseção, há uma magistrada que já demonstrou interesse em assumir a titularidade do JEC da região. "Levamos esta informação ao conhecimento da presidente do Cojes. Esperamos uma nomeação para breve", acredita.
 
Acompanharam Barros na reunião os presidentes das comissões de Juizados Especiais, Rafael Correia, e de Advogados Audiencistas, Claudete do Valle.

 

Fonte: redação da Tribuna do Advogado

{loadposition folhadaterra-posicao10}

{jcomments on}

 

Comentários

comentários

Postado em OAB

Deixe um Comentário