Dia dos namorados

Hoje, vou preparar o jantar, seus pratos e sobremesa preferidos, cristais e

 

porcelanas na mesa, esperando você chegar.

 

Seu novo roupão na poltrona e eu de camisola lilás, sua cor preferida, estirada

 

entre lençóis perfumados, admirando a aliança de brilhantes, compromisso firmado por

 

você que para todo o sempre iria me amar.

 

Meus olhos ainda procuram os teus na ilusão de te achar, não posso te ocultar a

 

saudade do teu abraço nos dias frios, a embalar todos os meus sentidos, nossos beijos

 

em momentos tão especiais que ainda percorrem por meu olhar.

 

Nossos olhos se encontraram no meio a multidão e num tropeço o começo sem

 

programação.

 

Queria que soubesses também que em meus olhos persistem a tua imagem a

 

sorrir e a me fazer feliz.

 

Procuro até hoje entre a multidão a doçura de teu olhar, tua boca a dizer palavras

 

vãs a me conquistar. Há a saudade doída da despedida, meus soluços percorrem meus

 

sentidos, não adianta é a você que quero amar.

 

Meu hoje vazio nem quero lembrar. Flores secas flutuam no ar, sei que não há

 

volta, mas é por ti que vivo a esperar. Tua boca a me beijar, tuas mãos a percorrerem

 

meu corpo na ânsia de matar meu desejo por muito há esperar. Tudo ilusão, até porque

 

entre nós há um adeus eterno e sei que nunca mais vou te encontrar.

 

Outras bocas não consigo beijar, o sabor amargo me faz chorar. Teu beijo doce e

 

quente não dá pra negar. O sonho ainda não acabou e, para sempre preencherá um

 

vazio enorme que há em mim. E na lembrança de mim em ti marcada no silêncio de

 

outros braços, no beijo amargo de outras bocas, só por um instante, hás de sentir.

 

O acaso que nos aproximou e nosso caso de amor por demais intenso neste

 

mundo tão pequenino valeu muito a pena nossos momentos de amor.

 

Sei que teu coração muitas mulheres vás conquistar e nada para ti representarão,

 

até porque há um lugar especial e em nestes momentos estarei presente para aplacar a

 

tua solidão.

 

 E pela madrugada balbuciarei teu nome, porque é contigo que desejaria estar.

 

Aplacar minha solidão é preciso e pela vida não vou a outros braços vou me

 

entregar, sentir o gosto amargo o dissabor de outras companhias jamais vou

 

compartilhar. Mesmo assim tenhas certeza que nesses momentos sentirei tua presença, o

 

calor de tuas mãos a me acariciar, teus beijos a percorrer meu corpo na ânsia louca de

 

me amar. E no brilhante intenso, o compromisso eterno de dois corações, almas gêmeas

 

que se encontraram no universo e por laços invisíveis se pertencerão para todo o sempre.

 

 MARGOT CARVALHO

{loadposition folhadaterra-posicao10}

{jcomments on}