Vem aí a 2ª Festa Literária da Zona Oeste

 

 A Festa Literária da Zona Oeste nasceu em 2013 do sonho de valorizar o grande potencial criativo da região mais populosa do Rio de Janeiro.

Preterida das políticas públicas por décadas, a Zona Oeste demanda por novos espaços de reflexão e produção de ideias – um lugar de voz na efervescência cultural da cidade. É neste contexto que surgiu a Flizo – Festa Literária da Zona Oeste-,  como um movimento de convocação de instituições, artistas e público para extravasar os territórios engessados rumo ao Oeste, em busca de um novo ambiente para o exercício do pensamento.

Estar em novos lugares e pensar sob novas perspectivas é o lema da Festa, que aposta na fertilidade encantadora da leitura para regar esta nova possibilidade criativa.

Seu idealizador é Binho Cultura, escritor e poeta da Vila Aliança, em Bangu, convidado da ação realizada no Quiosque da Globo em Copacabana, no dia 08 de agosto, parte da campanha que anuncia a Flizo 2014, onde foram promovidas sessões de leitura abertas aos público, troca e doações de livros para a campanha, com a participação maciça do público infantil.

Binho Cultura em ação

 

A versão 2014 vem recheada de atrações que serão apresentadas no período de 13 de setembro a 12 de outubro. Conheça algumas delas:

– Concurso de Monografias da Zona Oeste

(por uma Cartografia Acadêmica da Zona Oeste)

Esta iniciativa pretende estimular a criação acadêmica a respeito da Zona Oeste, promovendo uma cartografia intelectual do lugar. A participação deve ser de trabalhos com temas transversais à região, sejam eles de caráter histórico, social político, urbanístico, cultural ou artístico, com abrangência nacional.

– Os Concursos Literários com inscrições abertas até 19 de setembro para categorias específicas, abrirá espaço para que se produza conteúdo sobre a região e, a partir dela, se trace um novo olhar para a história do Rio de Janeiro. Respondendo à provocação dos 450 anos que a cidade fará no ano que vem, esses concursos pretendem produzir uma cartografia literária sobre a maior região do município. Todos os textos serão produzidos sobre a Zona Oeste.

– Concurso Literário da Zona Oeste

(por um Cartografia Literário-Afetiva da Zona Oeste do Rio de Janeiro)

Esta iniciativa pretende estimular a criação literária a respeito da Zona Oeste, promovendo uma cartografia afetiva da região. A participação é livre e aberta, com abrangência nacional, incentivando o desenvolvimento da escrita sobre e a partir de temas relativos a essa porção do Rio, dando visibilidade não apenas aos escritores locais, mas a todos que se sentirem inspirados a refletir e se expressar sobre esse território e suas comunidades.

Categorias

uma proposta criativa que contempla diversos gêneros literários, acolhidos sob uma abordagem contemporânea, o Concurso Cultural Flizo abrirá espaço para a participação de autores de todas as idades, por meio de categorias específicas para crianças, jovens, adultos e terceira idade. São elas:

Crônicas

Deverá ser elaborada a partir da seleção de uma das imagens veiculadas pelo edital do concurso. O material fotográfico-poético será produzido por artistas da Zona Oeste, revelando situações cotidianas características de alguns dos maiores bairros da região.

Participação: todos os escritores a partir de 14 anos, um público observador, detalhista e cheio de opinião.

Histórias Fantásticas

A Zona Oeste como reino da fantasia. Personagens folclóricos, míticos, esotéricos, mitológicos, extraterrestres e demais monstros são bem-vindos para compor uma bela ou horripilante história

ocorrida nas paisagens urbana e natural da região. Mentes curiosas e cheias de imaginação poderão contar tudo que já aconteceu por ali, mesmo sem ter como provar e ainda que ninguém acredite.

Participação: pequenos autores de 7 a 13 anos e jovens escritores de 14 a 18 anos.

Micronarrativa

A ideia aqui é contar tudo, mas escrevendo pouco. Em vez de 140 caracteres, voga em redes sociais, serão 140 palavras para uma história bem sugestiva. Com a chance de mostrar e esconder, deixando que o leitor complete as informações que faltam, estas brevíssimas narrativas são formato estimulante e divertido.

Participação: todos os concisos e espertinhos autores com mais de 14 anos.

Memória dos Tempos

Poesias, contos ou relatos em forma de diário são bem-vindos nesta categoria, que busca um retrato possível de ser feito pelos que viveram na região em outros tempos, bem como pelos que se dispuserem a apurar, entrevistar e, então, relatar os acontecimentos do passado.

Participação: autores com mais de 60 anos, demais interessados.

Poesia de Muro

Esta categoria procura por poetas urbanos, que possam traduzir suas mensagens para o mundo em até 99 caracteres. Não precisa rima: basta criar imagens por meio de palavras – como num verso, mas cheirando à tinta.

Participação: frasistas rápidos e certeiros de 8 a 80 anos.

Os Cursos em parceria com a Firjan darão uma formação compacta em projetos culturais,  para 25 agentes culturais da região que desejem aprimorar seu trabalho.  Esses cursos darão as ferramentas para que os projetos já em desenvolvimento ganhem força argumentativa, organização produtiva e assertividade de planejamento.

Durante o período de festas, o Circuito Flizo percorrerá três escolas de Bangu com um mês de oficinas de criação literária relacionadas ao livro e outras artes como música, cinema e teatro. Alunos das escolas das três Vilas de Bangu, Aliança, Kennedy e Vintém, serão estimulados a dar voz à sua realidade e talento, criando um novo mundo possível por meio das palavras. Seus trabalhos serão consolidados em uma antologia, publicada online.

A oficina de criação literária é oferecida para os menores internos da unidade do Novo Degase, em Bangu. Atendendo a 15 jovens, a oficina provoca sensibilização e inspiração, graças à metodologia de aproximação de realidades – Binho Cultura, é o nome por trás dos lápis e papéis.

As oficinas acontecerão em três turmas. Serão 30 jovens e uma classe dedicada especialmente à equipe técnica do Novo Degase. Uma das etapas da oficina será ministrada pela poeta Elisa Lucinda durante. Os alunos desta turma terão a oportunidade de apresentar o resultado deste trabalho no encerramento da Festa, para que todos conheçam e reconheçam o poder libertário das palavras.

Para compor a diversidade cultural proposta pela Festa Literária, os eventos de abertura e encerramento reunirão público e artistas para mesas de debate sobre temas transversos à literatura e sua criação invisível.

Os convidados destes eventos são nomes de peso, muitos reconhecidos internacionalmente, e dispostos a agregar valor e dar visibilidade ao plano de transformar a Zona Oeste em um novo campo criativo.

Programação:

A programação será incrementada por peças de teatro, performances, saraus, filmes, shows e oficinas criativas de artistas da região, além de outros trabalhos que somem à pluralidade do evento.

EVENTO DE ABERTURA – DIA 1
sábado, 13 de setembro – Cidade das Artes

10h – Discurso de abertura

11h – Mesa 1

“O bonde da Economia Criativa”
Mais do que apenas boas ideias, os convidados desta mesa compartilham disposição e conhecimento para implementá-las, chamando atenção com iniciativas que envolvem a comunidade e colaboram na transformação cultural e social do país.

 Luiz Fernando Pinto – Coletivo Peneira + Mufa Produções
 Vinicius Terra – Festival Terra do Rap
 Anderson Quack – Cia de Teatro Tumulto e Cufa
 Junior Perim – Circo Crescer e Viver
 Binho Cultura – Flizo
Mediação >> Eliane Costa

15h – Mesa 2

“Paulo Lins, autor e obra”
Autor referencial na literatura da periferia, Paulo Lins é o homenageado na abertura da Flizo 2014. Serão relembradas suas obras mais conhecidas, como Cidade de Deus. Indicado a quatro prêmios no Oscar em 2004 nas categorias diretor, roteiro adaptado, montagem e fotografia, Cidade de Deus também recebeu uma indicação a melhor filme estrangeiro no Globo de Ouro no mesmo ano.

Autor de livros e poeta, nosso homenageado trabalha ainda como roteirista para televisão e cinema. Para celebrar sua carreira, uma exposição retrospectiva será realizada, além dessa mesa de debates. A entrada é franca.

Paulo lins

 

 Guti Fraga
 Paulo Lins
 Heloisa Buarque de Hollanda
Mediação >> Adailton Medeiros

16h30 – Mesa 3

“Ritmo e poesia nas quebradas”
Um encontro de autores, intérpretes e especialistas em rap, ragga e outras linguagens urbanas, que em conversa partirão em busca dos pontos de contato entre o canto-falado das ruas, a cultura oral, o repente, a poesia e o beletrismo.

 Bob Rum
 Dudu de Morro Agúdo
Mediação >> Numa Ciro

 PROGRAMAÇÃO PARALELA 1 – a definir 

 PROGRAMAÇÃO PARALELA 2 | Espaço Cine Valdir Onofre

14:00 “Cidade de Deus” – Fernando Meirelles

17:00 “A Batalha do Passinho” – Emílio Domingos

EVENTO DE ABERTURA – DIA 2
domingo, 14 de setembro – Cidade das Artes

11h – Mesa 4

“Leitura em tempos de hiperconexão
A proposta aqui é reunir autores de prestígio entre crianças e adolescentes para uma reflexão em voz alta a respeito de novas mídias e, também, sobre a disponibilidade de tempo para a leitura, em meio à concorrência de redes sociais, games e outros atrativos.

 Thalita Rebouças
 Cristiane Costa
 Jessé Andarilho
Mediação  Ricardo Soares

15h – Mesa 5

“Por que escrever e ler Poesia”

 Paulo Henriques Britto
 Alice Sant’Anna
 Lucas Viriato
Mediação >> Henrique Rodrigues

17h – peça de teatro – Teatro de Câmara

O Mundo Buarque de Hollanda – Anna Markun
Infantil com músicas de Chico Buarque

 PROGRAMAÇÃO PARALELA 1 – a definir!

 PROGRAMAÇÃO PARALELA 2  – Espaço Cine Valdir Onofre

15:00 a definir!

Feira da Flizo

Reunirá 20 profissionais, artistas, coletivos e instituições parceira para expor seus trabalhos nos dias de encerramento da Flizo.

Os interessados em participar  da Feira podem escrever  para feira@flizo.org

Outros eventos estão sendo estudados. Para participar dos concursos ou de qualquer outra atividade da Flizo 2014 acesse o site www.flizo.org

{loadposition folhadaterra-posicao10}

{jcomments on}