Prefeitura inicia obras de cinco unidades do programa Fábrica de Escolas do Amanhã na Zona Oeste

O prefeito Eduardo Paes acompanhou neste sábado (1/11), na Zona Oeste da cidade, o início das obras de cinco unidades de ensino do programa Fábrica de Escolas do Amanhã Governador Leonel Brizola, que terão capacidade de atender 2.720 alunos em turno único. Até o fim de 2016, o programa Fábrica de Escolas do Amanhã Governador Leonel Brizola vai erguer 136 unidades da rede de ensino municipal e adaptar 77 já existentes, em um investimento de R$ 2,1 bilhões. Durante a manhã de hoje, foram lançadas as construções de uma escola para 360 estudantes de Primário no Loteamento Jardim Terra Firme, em Santíssimo; um Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) para 400 crianças no Conjunto Santa Margarida, em Campo Grande; um Ginásio para 840 alunos e um EDI para 400 crianças em Inhoaíba; e um Primário para 720 estudantes em Cosmos. Na ocasião, o prefeito apresentou aos moradores de Inhoaíba um projeto de construção de escolas naquela região.

 

Com a construção de novas escolas na cidade, a Prefeitura do Rio pretende atingir a meta de oferecer turno único, com sete horas diárias de aula, a 35% dos alunos do município até o fim de 2016.

 

– O maior desafio do Rio de Janeiro, que já conta com a maior rede pública de ensino do país, é, cada vez mais, aumentar a sua qualidade. Dar às nossas crianças e jovens uma boa formação é a certeza de que teremos um país melhor no futuro. O que estamos fazendo no Rio de Janeiro nada mais é do que buscar cumprir a nossa promessa. Esse projeto é a nossa menina dos olhos e estou certo de que será algo transformador -, afirmou o prefeito Eduardo Paes.

 

Segundo o coordenador-geral do Programa Fábrica de Escolas do Amanhã, Eduardo de Pádua, a iniciativa será "enriquecedora" para a rede municipal de ensino:

 

– Trata-se de uma grande oportunidade de organizarmos a nossa rede e oferecer o melhor. É um plano de longo prazo, mas, com a segmentação, os responsáveis pelo aluno já irão saber, desde a pré-escola, em quais unidades seus filhos vão estudar no primário e no ginásio.

Também estavam presentes o presidente da Câmara Municipal do Rio, vereador Jorge Felippe, e o deputado Pedro Paulo Carvalho, além de representantes da RioUrbe, empresa municipal responsável pelas obras.

 

As primeiras unidades de ensino do Projeto Fábrica de Escolas do Amanhã Governador Leonel Brizola foram anunciadas nesta sexta-feira (31/10), no bairro do Anil, em Jacarepaguá. Com obras já iniciadas, serão construídos uma escola primária, com vagas para 720 alunos, e um Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI), com capacidade para atender 400 crianças, totalizando 1.120 alunos beneficiados na região.

 

O PROGRAMA

O nome do programa Fábrica de Escolas do Amanhã homenageia o ex-governador Leonel de Moura Brizola, que de 1983 a 1987 e entre 1991 e 1994 construiu 515 Centros Integrados de Educação Pública (Cieps) em todo o estado, dos quais 235 estão atualmente sob administração do município. O projeto foi desenvolvido pela RioUrbe, atendendo às necessidades da Secretaria Municipal de Educação. Ainda neste segundo semestre, todas as quatro fábricas estarão em funcionamento.

 

Atualmente, 20,7% dos alunos da rede municipal de ensino estudam em turno único. O Programa Fábrica de Escolas do Amanhã Governador Leonel Brizola também prevê a reorganização das unidades em segmentos: Espaço de Desenvolvimento Infantil (creche e pré-escola), Primário (1º ao 6º ano) e Ginásio (7º ao 9º ano). Com a construção das escolas, a Prefeitura do Rio vai atingir a meta de ter 35% dos alunos da rede municipal estudando em turno único, com sete horas de aulas diárias.

 

Segundo dados Secretaria Municipal de Educação, as escolas que oferecem turno único apresentaram resultados expressivos nas avaliações de desempenho. No IDEB 2011, os Anos Iniciais (do 1º ao 5º ano) avançaram 12,7% em relação a 2009 (4,7 para 5,3), enquanto que nos Anos Finais (6º ao 9º ano) o crescimento foi ainda maior, alcançando os 37,1% (3,5 para 4,8). No IDERIO, os resultados também apresentaram crescimento de 8,8% nos Anos Iniciais (4,5 para 4,9) e 4,1% nos Anos Finais (4,8 para 5.0).

 

ÁREAS PACIFICADAS RECEBERÃO 34 UNIDADES, 19 DELAS NA MARÉ

O Complexo da Maré receberá até julho de 2015 um campus educacional com sete unidades escolares (1 EDI, 5 Primários e 1 Ginásio) e outras 12 unidades distribuídas pela região, totalizando 19 novas unidades, além de 7 escolas e 1 EDI ampliados. O investimento para a região da Maré é de R$ 236 milhões e vai atender mais de dez mil crianças. Ao todo, até o fim de 2016, as comunidades pacificadas receberão 34 novas unidades escolares e a ampliação de 19 unidades já existentes de Ensino Fundamental e Educação Infantil. Além da Maré, Batan, Jacarezinho e Manguinhos também serão áreas beneficiadas com a ampliação da rede de Educação.

 

ESTRUTURA TORNA PROCESSO CONSTRUTIVO MAIS RÁPIDO

 

A Prefeitura do Rio desenvolveu um conceito construtivo para dar mais velocidade à construção das novas unidades. Com a utilização de elementos pré-moldados, cada unidade levará em média apenas dez meses para ficar pronta. As paredes têm painéis de vedação termoacústico e todos os ambientes serão climatizados. As coberturas, rampas e escadas são metálicas. Outro diferencial dessas escolas é o projeto de tratamento acústico nas salas de aula, área do recreio e parte administrativa. Todas as salas serão projetadas para receber projetores e computadores.

 

O projeto das escolas foi concebido para o melhor aproveitamento tanto da estrutura metálica da fixação de painéis quanto da estrutura pré-fabricada de concreto. A RioUrbe desenvolveu vários modelos para se ajustar dependendo das características do terreno. Entre os módulos que formarão as escolas estão a Unidade de Alimentação e Nutrição, a administração, as salas de aula, a biblioteca informatizada, o laboratório de informática, os banheiros e o módulo de circulação vertical, com rampas, escada ou elevador.

 

Todo o projeto, do ponto de vista do prédio quanto da localização do terreno, foi elaborado em atendimento às normas de acessibilidade, com desenho universal que permitisse a utilização das áreas.

{loadposition folhadaterra-posicao10}

{jcomments on}

 

Comentários

comentários

Deixe um Comentário