CPII comemora 177 anos hoje e inaugura teatro em Realengo

Hoje, 2 de dezembro, o Colégio Pedro II completa 177 anos de fundação e para comemorar a data em grande estilo, inaugura no Campus Realengo II o Teatro Bernardo Pereira de Vasconcelos. Toda a comunidade escolar está convidada para a solenidade de inauguração que acontece a partir das 11 horas e contará com uma extensa programação cultural, como a apresentação da Fanfarra do Campus  Realengo II e de um coral com 48 vozes.

Com 410 lugares, o Teatro Bernardo Pereira de Vasconcelos funcionará em um prédio construído em 1919 e que abrigava a usina termoelétrica da fábrica de cartuchos do Exército, onde hoje está localizado oCampus Realengo II.  A fachada original foi mantida, mas todo o interior passou por adaptações para receber o teatro. O projeto arquitetônico é do professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro José Dias, ex-aluno do Colégio Pedro II.

Construído com equipamentos de ponta, o espaço foi projetado para dar maior conforto aos espectadores e acessibilidade aos cadeirantes, com rampas e elevadores de acesso, além de contar com um gerador de energia próprio e sistema de aproveitamento de águas pluviais.

Enquete

O teatro recebeu o nome do ministro interino do Império na época da fundação do Colégio Pedro II. Por meio de um decreto por ele expedido em 2 de dezembro de 1837, o Seminário de São Joaquim (fundado 1766) foi transformado no Imperial Collegio de Pedro Segundo. O nome dado à instituição foi uma homenagem ao Imperador, que naquela data completava 12 anos de idade.

Além de idealizador e fundador do Colégio, Bernardo Pereira de Vasconcelos foi também responsável pela indicação dos primeiros docentes e pela escolha do material didático adotado pela instituição. Político influente, foi um dos primeiros a levantar a bandeira pela valorização do magistério e pelo ensino público de qualidade.

Em setembro passado, foi realizada uma enquete para escolha do nome do teatro de Realengo que envolveu toda a comunidade escolar. Para tanto, foram propostos quatro nomes de personalidades com trajetórias ligadas ao Colégio: Bernardo Pereira de Vasconcelos, Euclides da Cunha, Manoel Bandeira e Gonçalves Dias.  O nome do fundador do Colégio Pedro II foi escolhido por 42,49% dos participantes. A enquete recebeu 4.578 votos.

O novo teatro do Colégio Pedro II terá como proposta levar às comunidades escolar e do entorno do Complexo Realengo espetáculos culturais a preços acessíveis. “Queremos incentivar a realização de shows de música, dança e cinema na região. Nosso objetivo é levar cultura para a comunidade, já que o bairro carece de equipamentos culturais com esse porte”, afirma o diretor-geral do Campus Realengo II, Miguel Villardi.

Além da inauguração do Teatro Bernardo Pereira de Vasconcelos no Campus Realengo II, outros campi também terão atividades em comemoração aos 177 anos do Colégio. Em breve divulgaremos a programação completa.

A Reitoria do Colégio Pedro II disponibilizará transporte  até o Campus Realengo. A Saída será às 9 horas, da garagem do Prédio da Reitoria.

Tradição

O Colégio Pedro II foi a primeira instituição de instrução secundária do Brasil, criada para ser referência de ensino em todo país. Com uma longa tradição que se confunde com a própria história brasileira, o CPII foi protagonista da educação nacional por meio do desenvolvimento científico, artístico e cultural da nação.

Sua origem remonta ao Colégio dos Órfãos de São Pedro, criado em 1739 pelo Bispo D. Antônio de Guadalupe, posteriormente chamado Seminário de São Joaquim (1766). O seminário exercia também a função de escola, funcionando como um polo de cultura na cidade do Rio de Janeiro.

Com a criação do Colégio Pedro II em 2 de dezembro de 1837, foi implantado um programa de ensino de base clássica e tradição humanística. A instituição conferia a seus formandos o diploma de Bacharel em Ciências e Letras, o que os habilitava a ingressar no ensino superior sem prestar exames. Por décadas, o programa estabelecido pelo Colégio Pedro II foi referência nacional para outros estabelecimentos de ensino secundário.

Vinte anos após a inauguração do primeiro colégio, foi implantado uma nova unidade na região Norte do município. Primeiramente instalado em um prédio na Tijuca, o Internato, como ficou conhecido, foi transferido depois para o campo do São Cristóvão, onde atualmente funciona o Complexo São Cristóvão (Campi I, II e III).

Expansão

O Colégio Pedro II iniciou seu ciclo de expansão na década de 50 do século passado com a implantação de seções no Engenho Novo e Humaitá (1952) e Tijuca (1957). O segundo ciclo de expansão se deu nos anos 80, agora voltado para os primeiros anos do Ensino Fundamental, unidades que ficaram conhecidas como Pedrinho. O primeiro deles, hoje Campus São Cristóvão I, completou no início deste ano 30 anos de fundação.

O último ciclo de expansão do CPII começou em 2004 com a criação da Unidade de Realengo, seguida pela de Niterói (2006) e Duque de Caxias (2007). Em 2012, o Colégio inicia sua primeira experiência na área da Educação Infantil, com a implantação de uma Unidade no Complexo Realengo.

Além da expansão física, o Colégio Pedro II também ampliou sua área de atuação com a implantação em 2006 do Programa de Integração da Educação Profissional ao Ensino Médio. Atualmente a instituição oferece em alguns campi duas modalidades: Ensino Médio Integrado e Educação de Jovens e Adultos (Proeja).

Com a publicação da Lei 12.677 de 25 de junho de 2012, o Colégio Pedro II foi equiparado aos Institutos Federais, regidos pela Lei 11.892 de 28 de dezembro de 2008. Essa mudança possibilitou a alteração da sua estrutura organizacional e, com isso, as unidades escolares passaram de forma automática, independentemente de qualquer formalidade, à condição de campi da instituição.

O Colégio Pedro II, hoje com 14 campi e uma Unidade de Educação Infantil, atende quase 13 mil alunos e conta com corpo de técnicos e docentes da ordem de dois mil servidores.

{loadposition folhadaterra-posicao10}

{jcomments on}