Parque Estadual do Mendanha inscreve agricultores do entorno no Cadastro Ambiental Rural

O Parque Estadual do Mendanha (PEM), situado na Região Metropolitana, iniciou essa semana um trabalho de apoio para a inscrição de agricultores do entorno da unidade no Cadastro Ambiental Rural (CAR). Estima-se que existam mais de 300 agricultores na região. Técnicos do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) vão atuar em entidades representativas e órgãos de extensão rural, dando assistência e estabelecendo um canal de diálogo, já que as propriedades rurais do entorno são importantes para a preservação ambiental.

– O cinturão de propriedades rurais em torno do parque é fundamental, porque evita a especulação imobiliária e as ocupações irregulares. Com este apoio aos agricultores, estaremos cumprindo a legislação ambiental e, ao mesmo tempo, estabelecendo uma relação de diálogo e parceria – afirmou o chefe do parque, Carlos Dário de Castro Moreira.

Técnicos do parque e da Gerência do Serviço Florestal (Gesef) vão percorrer entidades representativas e órgãos de extensão rural para auxiliar os agricultores no preenchimento dos dados do cadastro. Através dele será possível verificar se a propriedade precisa, por exemplo, fazer recuperação ambiental ou, caso tenha áreas verdes superiores ao exigido na legislação, obter ganhos através da venda de cotas de reserva ambiental.

A assistência do Inea será prestada somente aos agricultores com propriedades equivalentes a quatro módulos rurais (no município do Rio, isso equivale a uma área total de 20 hectares). Estes e outros detalhes já haviam sido transmitidos no I Seminário de Agricultura e Unidades de Conservação, realizado no dia 8 de dezembro, no auditório SEA/Inea, e que incluiu também o Parque Estadual da Pedra Branca (PEPB).

O CAR é um registro eletrônico, obrigatório para todos os imóveis rurais, que tem por finalidade integrar as informações ambientais referentes à situação das Áreas de Preservação Permanente (APP), das áreas de Reserva Legal, das florestas e dos remanescentes de vegetação nativa, das Áreas de Uso Restrito e das áreas consolidadas das propriedades e posses rurais do país.

Com área de 4,3 mil hectares, o Parque Estadual do Mendanha foi criado em 2013 e abrange partes dos municípios do Rio de Janeiro, Nova Iguaçu e Mesquita. A unidade protege áreas de vegetação nativa, com espécies raras e ameaçadas de extinção, bem como chaminés vulcânicas e nascentes de cursos d´água contribuintes do Rio Guandu, que abastece os municípios do Rio de Janeiro e da região do Grande Rio.  

{loadposition folhadaterra-posicao10}

{jcomments on}