UEZO integra Comitê da Bacia Hidrográfica do Guandu no Biênio 2015-2016

Na quinta-feira, dia 05 de fevereiro, o prof. João Bosco de Salles, Vice-reitor da UEZO, tomou posse como representante da UEZO no Comitê da Bacia Hidrográfica dos Rios Guandu, da Guarda e Guarda-Mirim, para o biênio 2015-2016. A professora Ida Carolina Direito, que é suplente, também esteve presente, garantindo a participação da UEZO como representante dos interesses da Sociedade Civil, segmento no qual a instituição se elegeu.

A UEZO passa a integrar os debates a respeito da gestão dos recursos hídricos em um momento especialmente delicado, em que se delineia uma crise gerada pela escassez de água em três estados do Sudeste, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. A Bacia do Rio Guandu é responsável pelo abastecimento de boa parte da região metropolitana do município do Rio de Janeiro e está interligada à Bacia do Paraíba do Sul, cujas águas são transpostas para o Guandu, para garantir o abastecimento de milhões de pessoas.

Entenda a importância do Comitê Guandu

O Comitê da Bacia Hidrográfica dos Rios Guandu, da Guarda e Guarda-Mirim é um órgão colegiado, vinculado ao Conselho Estadual de Recursos Hídricos – CERHI, com atribuições consultivas, normativas e deliberativas, de nível regional, integrante do Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos – SEGRHI, nos termos da Lei Estadual nº 3.239/99.

A área física de atuação do Comitê Guandu não envolve territórios da Bacia do Rio Paraíba do Sul. Porém, devido à vinculação hídrica entre as bacias do Guandu e do Paraíba do Sul, em virtude da transposição de até 160 m3/s para geração de energia e abastecimento da população da região metropolitana do Rio de Janeiro, tais bacias têm um forte vínculo e questões relevantes a serem negociadas e debatidas pelos atores das duas bacias. A atuação do Comitê da Bacia Hidrográfica do Guandu compreende a Bacia Hidrográfica do Rio Guandu, incluídas as nascentes do Ribeirão das Lajes, as águas desviadas do Rio Paraíba do Sul e do Piraí, os afluentes ao Ribeirão das Lajes, ao Rio Guandu e ao Canal de São Francisco, até a sua desembocadura, na Baía de Sepetiba, bem como as bacias hidrográficas dos Rios da Guarda e Guandu-Mirim.

A estrutura do Comitê

A estrutura do Comitê Guandu é constituída por um plenário, composto por 30 membros com direito a voto, sendo 12 representantes dos usuários de água, 9 representantes da sociedade civil e 9 representantes do poder público (federal, estadual e municipal). Possui uma diretoria colegiada composta de 6 membros.

Além disso, o Comitê Guandu conta com uma Câmara Técnica de Assuntos Legais e Institucionais (CTALI), uma Câmara Técnica de Ciência Tecnologia e Educação (CTCTE), uma Câmara Técnica de Instrumentos de Gestão (CTIG), e uma Câmara Técnica de Estudos e Projetos (CTEP).

Atualmente, a sede do Comitê Guandu funciona na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), no município de Seropédica.

Saiba mais sobre o Comitê da Bacia Hidrográfica dos Rios Guandu, da Guarda e Guarda-Mirim: http://www.comiteguandu.org.br/

{loadposition folhadaterra-posicao10}

{jcomments on}

Comentários

comentários

Deixe um Comentário