Mutirão contra o Aedes Aegypti chega à região de Bangu

O mutirão de mobilização contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya, chegou esta semana à região de Bangu (Área de Planejamento 5.1). As ações, promovidas pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), vão desta segunda-feira (25/01) até sexta-feira (29/01). O objetivo – além de buscar e eliminar possíveis focos do mosquito – é envolver a população, com atividades educativas, para que todos possam colaborar no combate ao Aedes aegypti em suas próprias residências e vizinhanças.

Durante toda esta semana, todas as unidades da rede de Atenção Primária (Centros Municipais de Saúde e Clínicas da Família) da região da AP 5.1 – que compreende os bairros de Bangu, Campo dos Afonsos, Deodoro, Jardim Sulacap, Magalhães Bastos, Padre Miguel, Realengo, Senador Camará e Vila Militar – farão palestras de orientação nas salas de espera voltadas para o combate ao mosquito, destacando a importância da participação da população. Também ocorrerão ações locais com os agentes de vigilância em saúde, em parceria com a Comlurb, nos setores vulneráveis do território, para tratamento e eliminação de depósitos.

A cada semana o mutirão vai a uma área da cidade com diferentes atividades. As ações, realizadas desde o dia 14 de dezembro, já aconteceram nas regiões de Madureira e Adjacências; Santa Cruz e Paciência; Campo Grande; Grande Tijuca; Ilha e Zona da Leopoldina; Grande Méier; Barra e Jacarepaguá. Depois de Bangu, o último mutirão acontecerá a partir do dia 1º de fevereiro no Centro e na Zona Sul (Áreas de Planejamento 1.0 e 2.1).

– A melhor forma de se prevenir a dengue, a zika e a chikungunya é combatendo o mosquito. O trabalho dos agentes de vigilância ambiental em saúde não para, acontece o ano inteiro, mas eles sozinhos não podem vencer essa luta, precisam da ajuda da população. As pessoas têm que ter a consciência de cuidar do seu próprio ambiente, porque 80% dos criadouros do Aedes aegypti estão dentro das casas. É o pratinho da planta, a vasilha, a garrafa deixada no quintal, a caixa d’água destampada, qualquer recipiente que possa acumular água vira um criadouro do mosquito – alerta a superintendente de Vigilância em Saúde, Cristina Lemos.

A SMS conta com mais de 3 mil agentes de vigilância ambiental em saúde. As equipes estão diariamente em campo em toda a cidade, durante todo o ano, mesmo nos meses de menor presença do Aedes aegypti. Em 2015, foram feitas ao todo 10,075 milhões de visitas de inspeção a imóveis em toda a cidade em busca de possíveis focos do vetor, eliminando 1,069 milhão de depósitos e tratando outros 3,286 milhões. O trabalho dos agentes consiste em orientar os moradores; eliminar os depósitos passíveis de eliminação; tratar aqueles que não podem ser eliminados para evitar a proliferação dos focos.

O ingresso compulsório em imóveis fechados ou abandonados – quando o proprietário não entra em contato para liberar o acesso dos agentes – é feito baseado no decreto nº 34.377, de 2011. Em 2015, os agentes de vigilância ambiental fizeram 1.146 notificações em imóveis que estavam fechados na primeira visita, com 95 publicações em Diário Oficial (DO) para entrada compulsória. A grande maioria dos proprietários procurou a SMS, após a notificação ou dentro do prazo estipulado no DO, abrindo o local para permitir a vistoria. Em 61 imóveis, no entanto, os agentes precisaram fazer a entrada compulsória permitida pelo decreto.

Além de eliminar os criadouros do mosquito em suas próprias residências, a população pode colaborar também denunciando possíveis focos por meio da Central de Atendimento da Prefeitura, no telefone 1746. De todas as solicitações feitas em 2015 sobre o Aedes aegypti ao serviço, 95,9% foram atendidas pelos agentes de vigilância ambiental em saúde.

Confira abaixo a programação para esta semana:

Segunda-feira (25/01)

– 11h às 16h: estande no Shopping Parque Sulacap, com orientação e distribuição de folhetos informativos sobre dengue, zika, chikungunya e doenças de veiculação hídrica (leptospirose, hepatite, diarréia). Serviço de ouvidoria e visualização das fases do mosquito em microscópio.

– CMS Silvio Barbosa (Senador Camará): sala de espera e abordagem do tema nos grupos. Caminhada dos usuários do Programa Academia Carioca no território. Orientação sobre as medidas de prevenção e combate ao Aedes aegypti.

– CF Faim Pedro (Padre Miguel), CF Armando Palhares (Realengo), CF Olimpia Esteves (Padre Miguel): pré-bloco carnavalesco na Praça do Canhão e na estação de trem de realengo. Será realizada uma atividade de mobilização e combate ao Aedes Aegypti com eliminação dos focos e criadouros durante o trajeto, além de distribuição de material informativo.

– CF Mario Dias Alencar (Bangu): caminhada na comunidade do Cantão com eliminação dos focos e criadouros e orientações sobre o Aedes Aegypti e as doenças zika, dengue e chikungunya.

– CF Nildo Aguiar (Realengo): mobilização local com passeata e visita a residências, com eliminação de focos do mosquito.

– CMS Padre Miguel: intensificação na busca pelos focos de reprodução do mosquito realizada em parceria pelos agentes comunitários e de vigilânciaem saúde.

– CF Wilson Mello Santos – Zico (Vila Kennedy) e CMS Henrique Monat (Vila Kennedy): caminhada de sensibilização da comunidade, com a presença dos Agentes Comunitários de Saúde, dos Agentes de Vigilância em Saúde, agentes da Comlurb e profissionais de saúde, com eliminação de possíveis focos e distribuição de material informativo.

– CMS Catiri, CMS Athayde José da Fonseca (Bangu): combate ao mosquito, orientações, atividades lúdicas, encenações e distribuição de material informativo.

– CF Sandra Regina Sampaio de Souza (Senador Camará): sala de espera, decoração temática contra o mosquito na unidade, intensificação de visitas dos Agentes Comunitários de Saúde, dos Agentes de Vigilância em Saúde.

Terça-feira (26/01)

– 11h às 16h: estande no Shopping Parque Sulacap, com orientação e distribuição de folhetos informativos sobre dengue, zika, chikungunya e doenças de veiculação hídrica (leptospirose, hepatite, diarréia). Serviço de ouvidoria e visualização das fases do mosquito em microscópio.

– CF Antonio Gonçalves da Silva (Realengo): ação conjunta ACS/AVS, com visita aos locais mais críticos, com mobilização da população.

– CF Maria José de Souza Barbosa (Bangu) e CMS Eithel Pinheiro O. Lima (Senador Camará): Bloco Carnavalesco com caminhada. Orientações e contação de histórias com uso de maquete e folhetos explicativos.

– CF Mário Dias Alencar (Bangu): caminhada com orientação a população e procura de focos do mosquito.

– CF Padre John Cribbin (Realengo) e UPA Magalhães Bastos: ações na sala de espera.

– CF Wilson Mello Santos – Zico (Vila Kennedy): ação no território com ampla divulgação sobre dengue. Visita as escolas da área com agentes de vigilância em saúde com orientação dos professores e funcionários das escolas.

– CMS Buá Boanerges Borges da Fonseca (Magalhães Bastos): Grupo de gestantes irá abordar de forma dinâmica a importância da parceria da população no combate ao Aedes aegypti, com esclarecimento de dúvidas.

– Equipe de Consultório na Rua: visita a abrigo com identificação e eliminação de focos do mosquito, educação em saúde e orientação sobre as doenças transmitidas, forma de prevenção, principais sintomas e tratamento.

Quarta-feira (27/01)

– 8h às 16h: ações na Supervia e no Calçadão Bangu com participação da Caravana da Prevenção. Orientação e distribuição de folhetos informativos sobre dengue, zika, chikungunya e doenças de veiculação hídrica (leptospirose, hepatite, diarréia), além da visualização das fases do mosquito em microscópio.

– CF Mário Dias Alencar (Bangu): caminhada com orientações e esclarecimento de duvidas da população.

– CMS Professor Masao Goto (Sulacap): combate ao mosquito e orientações sobre prevenção da dengue, zika e chikungunya.

– CMS Silvio Barbosa (Senador Camará): caminhada para estimular combate ao mosquito. Ação de orientação e prevenção no grupo de gestantes.

– Equipe de Consultório na Rua: ação em saúde, sensibilização e orientação sobre prevenção, tipos de doenças transmitidas pelo mosquito, principais sintomas relacionadas a cada doença.

Quinta-feira (28/01)

– 11h às 16h: estande no Shopping Bangu com orientação e distribuição de folhetos informativos sobre dengue, zika, chikungunya e doençasde veiculação hídrica (leptospirose, hepatite, diarréia). Serviço de ouvidoria e visualização das fases do mosquito em microscópio.

– CF Faim Pedro e CMS Padre Miguel (Comunidade da Vila Vintém): Pré-bloco carnavalesco com mobilização da população com eliminação de focos e criadouros no território.

– CF Fiorello Raymundo (Padre Miguel) e CMS Manoel Guilherme da Silveira Filho (Bangu): grande caminhada no território. Encerramento na Vila Olímpica com presença da bateria mirim da Escola de Samba Padre Miguel.

– CF Kelly Cristina de Sá Lacerda Silva (Senador Camará), CF Mario Dias Alencar (Bangu), CF Sandra Regina Sampaio de Souza (Senador Camará) e CMS Silvio Barbosa (Senador Camará): caminhada de conscientização e mobilização.

– CMS Buá Boanerges Borges da Fonseca (Magalhães Bastos), CMS Professor Masao Goto (Sulacap), CF Padre John Cribbin (Realengo): Bloco da prevenção para prevenção e combate ao mosquito.

– CF Dr.Rosino Baccarini (Bangu), CMS Catiri e CMS Athayde José da Fonseca (Bangu): grande mobilização no Jardim Bangu com caminhada de conscientização contra o mosquito.

– CF Wilson Mello Santos – Zico (Vila Kennedy) e CMS Henrique Monat (Vila Kennedy): Bloco da saúde com a participação dos ritmistas da Unidos de Vila Kennedy e Academia Carioca com mobilização da população com orientação sobre dengue e eliminação de depósitos.

– CMS Waldyr Franco (Bangu): promoção da educação especial de pessoas com deficiência auditiva e seus familiares, abordando as temáticas relacionadas a dengue, chikungunya e zika no Instituto Anne Sullivan.

Sexta-feira (29/01)/2016

– CF Wilson Mello Santos – Zico (Vila Kennedy): visitas para orientação e eliminação de criadouros do mosquito.

– CMS Henrique Monat (Vila Kennedy): visitas domiciliares para sensibilização da população e promoção da saúde. Ação local nos setores vulneráveis com agentes de vigilância em saúde em parceria com agentes da Comlurb, com tratamento e eliminação de depósitos.

– CMS Waldyr Franco (Bangu): bloco com orientações para grupo de gestantes onde serão abortados os temos relacionados à dengue, zika e febre chikungunya.

– CF Dr. Antônio Gonçalves da Silva (Realengo): identificação e destruição de focos do mosquito. Trabalho preventivo de educação em saúde, sala de espera e agendamento de visitas domiciliares para possíveis demandas.

– Equipe de Consultório na Rua: vistoria na Praça do Buraco do Faim para busca e destruição de possíveis focos. Educação em saúde e orientação sobre as doenças transmitidas pelo mosquito, principais sintomas, tratamento e prevenção.

 

 

Comentários

comentários

Deixe um Comentário