GFMR: Amarelo volta a vencer 12×9 – Fabinho engatilha mais um gol

O Grupo de futebol Manoel Ramalho voltou a se reunir na última sexta-feira (18.11) para sua tradicional pelada.
A partida foi equilibrada e de bom nível técnico. O time Amarelo abriu o placar através de Paulo Rabello e manteve a dianteira durante toda a partida. No final chegou a abrir 4 gols de diferença. Placar final 12×9.

Paulo Rabello prepara o cruzamento
Paulo Rabello prepara o cruzamento
Robson preparando a caneta
Robson preparando a caneta

Os destaques da partida mostraram a zaga Amarela nervosa, sofrendo a influência do experiente Pará, que não se entendeu com os companheiros Lico e Emílio. Mostrou ainda, a habilidade de Fabinho, artilheiro do primeiro tempo. Antes, porém, o time Cenoura se aproveitou para encostar no placar, sem contudo, conseguir a virada.

Emílio caído chuta nas mãos de Leonardo
Emílio caído chuta nas mãos de Leonardo
Correria de Lico vence Mel
Correria de Lico vence Mel

No segundo tempo, com a entrada de Marco Aurélio, Yago e Flávio, o time Cenoura ganhou velocidade e tentou a reação mas esbarrou nas atuações de Paulo Rabelo e Emílio que voltaram a render.
Equipes e Notas:
Amarela: Júnior – boa partida, nota 5,5; Pará – inseguro sem comprometer, nota 5,5 (Paulo Gaio – com dois gols marcados esfriou a reação adversária, nota 6; Lico – muito exigido não avançou para evitar riscos, nota 6 (Alexandre cérebro – entrou bem e não comprometeu, nota 5); Fabinho – um dos responsáveis pela vitória com três gols, nota 7 (Luizinho – entrou e não comprometeu, 5,5), Manoel – oportunista marcou o seu, nota 5 (Bobo – entrou e também fez o seu, nota 5), Melo – boa participação, nota 5 (Joel – assumiu a responsabilidade, nota 5,5) Emílio – se encontrou no segundo tempo e marcou duas vezes, nota 6; Paulo Rabello – com dois gols segurou a fúria de Marco Aurélio. Com três gols se tornou um dos artilheiros da partida.
Cenoura: Leonardo – sem culpa, nota 5,5; Mel – quase adaptado, nota 4,5 (Tovar – ficou devendo, nota 4,5); Ueliton – fez dois gols, pode render mais (Yago – sem companhia fez dois gols e ficou só no cheirinho, nota 6); Marco Aurélio – muita disposição lhe valeu um gol, nota 5,5 (Ligeirinho – lento não apareceu, nota 4); Robson – irreverente se satisfez com uma caneta em Melo, nota 5 (Flávio – discreto, fez seu gol e ficou devendo, nota 5,5); Bodinho – com três gols foi um dos artilheiros da partida, nota 6,5; Willian – ficou devendo, nota 5,5 (Ricardinho – também não esteve bem, nota 5).

Manuel toca pra fora na saída de Leonardo
Manuel toca pra fora na saída de Leonardo
A solidão de Yago
A solidão de Yago

Comentários

comentários