Segurança do Parque Natural do Grumari foi tema de reunião na Seop

A segurança nas trilhas do Rio – que atraem cada vez mais adeptos entre cariocas e turistas – foi tema de reunião nesta terça-feira, 21, na Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop). Representantes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio ), da Trilha Transcarioca que cruza o Rio passando por parques nacionais, estaduais e municipais, e ainda da Confederação Brasileira de Montanhismo e Escalada foram recebidos pelo secretário Paulo Amendola, discutindo a necessidade de atenção especial ao Parque Natural Municipal de Grumari e à trilha Parque Lage-Corcovado. Como retorno, foi definida a criação de um plano de atuação integrada de forças de segurança para o patrulhamento em trilhas da cidade.

O plano das trilhas será uma das primeiras discussões do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM), projeto elaborado pela Seop, já com os acertos definidos pelo prefeito Marcelo Crivella e devendo ser publicado no Diário Oficial do Município ainda esta semana. “O GGIM vai facilitar discussões integradas, permitindo ao município envolver sem hierarquia órgãos diversos para a definição conjunta de protocolos de atuação da Guarda e das Polícias”, adiantou Amendola no encontro intermediado pelo coordenador de Uso Público e Negócios do ICMBio, Pedro Menezes.

GGIM – O Gabinete de Gestão é o pontapé inicial para a construção do Planejamento Estratégico de Segurança Pública da Prefeitura do Rio que a Seop vai coordenar, com ações estratégicas para a redução dos índices de criminalidade e prevendo a participação de profissionais de órgãos como as Polícias Civil e Militar, Defesa Civil, Guarda Municipal, Centro de Operações Rio (COR) e Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos.

– O projeto é grande. A estratégia é envolver todos os órgãos do município para que cada um colabore dentro de suas atribuições próprias. Precisaremos contar também com o respaldo das polícias e demais instituições voltadas à segurança para alinharmos parcerias e até de protocolos de atuação – explicou Amendola, que criou o Batalhão de Operações Especiais da PM (Bope) e implantou a GM-Rio em 1993.

Nos primeiros levantamentos feitos por equipes da Seop foi constatado que as principais ocorrências noturnas são relativas à perturbação do sossego, hoje atendidas pela PM, mas exigindo a presença do agente ambiental da Prefeitura. “Se conseguirmos delegar à Guarda a competência de fiscalizar e aplicar as infrações administrativas nesses casos, aliviando a sobrecarga da Polícia Militar, que passaria a concentrar esforços em ocorrências mais graves”, ressaltou o secretário, que já vem interagindo com a Secretaria Municipal de Conservação e Meio Ambiente (Seconserma) para estabelecer os protocolos de atribuição da tarefa à GM.

Comentários

comentários

Deixe um Comentário