População de Santa Cruz se mobiliza para Relatório contra a TKCSA

Desde que se anunciou a instalação da ThyssenKrupp Companhia Siderúrgica do Atlântico – TKCSA no Rio de Janeiro, moradores de Santa Cruz, bairro da zona oeste do município, sofrem com as consequências de uma atividade altamente poluidora numa região onde vivem mais de 367.928 pessoas, segundo o Censo de 2010.

No marco dos sete anos de funcionamento da siderúrgica, inaugurada em 18/06/2010, o Instituto Pacs e a Justiça Global lançam o relatório “Violações de Direitos Humanos na Siderurgia: o caso TKCSA“. O evento acontece no dia 26/06, às 9h, na sede da OAB-RJ (Rua Marechal Câmara, 150, Centro, no auditório do 4º andar).

A publicação traz um apanhado inédito do cenário do conflito socioambiental em Santa Cruz, detalhando aspectos do impacto nocivo da empresa sobre o sistema de licenciamento ambiental no Estado do Rio de Janeiro, a pesca artesanal, saúde de moradores e moradoras e ações de intimidação dos grupos que denunciam as violações de direitos humanos sofridas.

O relatório enumera também recomendações ao poder público (Judiciário, Inea, Governo do Estado do Rio de Janeiro, BNDES, MPRJ, Defensoria Pública e Secretaria Municipal de Saúde) a fim de garantir com urgência o cumprimento da legislação em vigor, de modo a proteger a pesca artesanal, a saúde e a segurança de moradores e moradoras e cobrar reparações aos/às atingidos/as pela siderúrgica.

O evento de lançamento do Relatório terá a participação de moradores e pescadores de Santa Cruz, pesquisadores/as da Fiocruz, Defensoria Pública do Estado, Ministério Público além de representantes do Instituto Pacs e da Justiça Global, que editaram a publicação. Representantes do Inea e da Secretaria Municipal de Saúde também fora convidados.
Colaborou Gisele Motta

Comentários

comentários