Comunitários cobram ação da sociedade organizada da Zona Oeste

Até o dia 29 de setembro, o #PlanoEstratégicoRio está em período de consulta popular e a governança da Zona Oeste, com destaque para Campo Grande, precisa atuar. É momento de ampliar a participação social no aperfeiçoamento do plano base divulgado pela Prefeitura e na apropriação das metas e iniciativas estratégicas. “Os clubes de serviços – Rotary e Lions-, Creci, CRC, Associação Médica da Zona Oeste, Ascontazo, as lojas Maçônicas, o Grupo dos Treze, as associações comerciais, os entes culturais, as subseções da OAB, os Conselhos Comunitários de Segurança, enfim, todos que de uma forma ou de outra se organizam no seu dia a dia, devem participar, inclusive a comunidade gay que se destaca em Sepetiba com seus eventos e passeatas”, cobraram alguns membros dessas instituições. “Nesse debate está a oportunidade de confirmarmos o que temos dito ao prefeito em recentes visitas à região, o que queremos para nossos próximos 4 anos”, afirmou o líder comunitário Rubens Batista.

Em Diário Oficial, a Prefeitura do Rio de Janeiro divulgou as datas das primeiras audiências públicas gerais sobre o plano, quando as sugestões e críticas da população devem ser ouvidas para a elaboração de uma nova versão do Plano Estratégico.

A primeira audiência será na próxima segunda-feira (24/07), de 12h as 15h, no auditório do Arquivo Geral da Cidade, e a segunda, no dia seguinte (25/07), de 18h as 21h, na sede do Tijuca Tênis Clube.

A Ong Casa Fluminense é uma parceira dessas iniciativas sociais e se coloca a disposição para colaborar na organização dos grupos de trabalho. Mais informações podem ser solicitadas no WWW.casafluminense.org.br

Comentários

comentários