Preparador Físico de Padre Miguel (dir.) matou a saudade do Papinha da Vila

O preparador físico das categorias de base da cidade do Rio de Janeiro, André Luis Chagas, com atuação em vários clubes das divisões de acesso, esteve recentemente em São Paulo participando de um ciclo de partidas amistosas. Na oportunidade, acompanhando o Barra da Tijuca, André teve a grata oportunidade de reencontrar o amigo João Paulo, que saiu da Baixada Fluminense para fazer carreira no Santos, e hoje também atua na divisão de base do clube praiano.

O encontro aconteceu nos bastidores da Vila Belmiro e rendeu as seguintes recordações e lembranças obtidas por André junto ao Centro de Memórias e Estatísticas do Santos:

No dia 15 de junho de 1957, nascia em São João do Meriti, na região metropolitana do Rio de Janeiro, João Paulo de Lima Filho, que ficou conhecido no mundo da bola como “O papinha da Vila”.
O ágil ponta-esquerda veio do São Cristóvão e vestiu pela primeira vez a camisa do Peixe no dia 05 de junho de 1977, no empate em 1 a 1 diante do Botafogo de Ribeirão Preto, em partida válida pelo campeonato paulista daquele ano.
João Paulo vestiu a camisa onze do Peixe no final dos anos 70 e início dos anos 80, ficando um tempo fora e retornando em 1992 para encerrar carreira. Sua última partida foi no dia 09 de maio de 1992, na derrota santista diante do Cruzeiro por 2 a 1, na Vila Belmiro, em partida do campeonato brasileiro. A equipe formou com Sérgio; Dinho, Marcelo Fernandes, Luiz Carlos e Marcelo Veiga (Índio); Bernardo, Axel e João Paulo (Guga); Almir, Paulinho McLaren e Cilinho. O técnico era Geninho. João Paulo jogou 413 partidas pelo Peixe e foi o 3º maior artilheiro na era pós Pelé, ao lado de Serginho Chulapa, marcando104 gols. Pela Seleção Brasileira, enquanto esteve no Santos jogou 05 partidas e marcou 01 gol. O “Papinha da Vila” conquistou pelo Alvinegro Praiano os seguintes títulos: Campeão do Torneio Vencedores da América no Uruguai e do Torneio Cidade de Pamplona, ambos no ano de 1983, além do campeonato paulista de 1978, quando então foi um dos destaques da geração que ficou conhecida como “Meninos da Vila”. Atualmente trabalha ao lado do seu parceiro Juary, companheiro de ataque de 1978, no departamento amador do clube da Vila Belmiro.

Essa foi a forma carinhosa de André Luis homenagear o amigo e presentear seus comandados no Rio.

 

 

Comentários

comentários