Uezo decide pela greve

 

Em assembleia realizada ontem (01/08) à tarde na UEZO, os docentes decidiram, por 14 votos a favor e 10 contra, entrar em greve até que sejam quitados, minimamente, os salários referentes a maio e junho. O principal ponto colocado a favor da greve é a condição simplesmente INSUSTENTÁVEL de trabalho e subsistência dos docentes e demais funcionários da instituição com o atrasado acumulado de 2 salários (indo par ao terceiro), mais o décimo terceiro. Foi considerado que darmos continuidade normal às atividades nestas condições, em que muitos se encontram endividados e até mesmo com carência de recursos para transporte, está muito além do tolerável. É importante frisar que muitos docentes e técnicos, encontram-se crescentemente endividados, com seus limites de créditos extrapolados, sem condições até mesmo de contrair empréstimos, e correndo risco de perda de bens financiados (como imóveis e automóveis) por falta de pagamento de parcelas. É importante esclarecer que a deliberação pela greve deve seguir os procedimentos legais. Esta votação foi precedida de indicativo de greve, aprovado na Assembleia (anterior) da ADUEZO, realizada no dia 11 de julho. A greve entra em vigor 72 h após protocolação de ofício na Casa Civil comunicando a decisão da categoria, será feito hoje, 02/08. Desta forma, a greve terá início a partir da segunda-feira 07/08. Diante da perspectiva (totalmente desacreditada por parte dos servidores) de quitação dos salários referentes a maio e junho no dia 16/08 com recursos advindos do leilão da folha de pagamento dos servidores (a ser realizado em 09/08), foi deliberada por uma nova assembleia docente a ser realizada no dia 17/08 para votação da continuidade ou não da greve.

Att, Comando de Greve

ASCOM da Aduezo Sandes]

Comentários

comentários