Programa Orquestra nas Escolas chegou a Campo Grande

Sob olhares e ouvidos atentos e curiosos de centenas de crianças e jovens, instrutores do Programa Orquestra nas Escolas realizaram, na terça-feira (28/8), as primeiras aulas- espetáculo da iniciativa. As aulas aconteceram até hoje nas escolas Benjamin Franklin – Rua Argoin s/n, Campo Grande – Vila Nova – e Amazonas na Estrada Rio São Paulo, também em Campo Grande, entre as oito escolas selecionadas para participar da primeira fase do projeto. Os pequenos concertos visam dar aos alunos interessados em participar do programa mais conhecimento e confiança na hora da escolha do instrumento e realização da matrícula.

O Orquestra nas Escolas tem como meta a formação de 80 mil instrumentistas até 2020, a criação da Orquestra Sinfônica Juvenil Carioca, além, claro, de fazer da música um aliado no protagonismo juvenil dos alunos da rede, como destaca Moana Martins, coordenadora do projeto:

– A intenção é que o projeto se desdobre na qualidade de vida, nas ações educativas. É uma política de formação de jovens, do fortalecimento deles através da música.

As aulas para os alunos que se inscreverem nesta primeira fase do programa começam no próximo dia 18. Elas vão acontecer duas vezes por semana, nas segundas e quartas- feiras, fora do horário escolar, mas dentro das unidades.

Três polos vão oferecer aulas de instrumentos de corda e sopro. E um de sopro e percussão. Mas todos vão ter aulas de flauta doce e canto.

– A voz é o nosso instrumento musical. Já nascemos com ele -, ressalta Moana.

A expectativa é de que cada núcleo tenha cerca de 300 alunos. O número de instrutores já chega a 20, média de cinco por núcleo, e vai aumentar. Não apenas pela adesão dos professores de música das escolas, por parcerias, como a formada com a UFRJ, mas também pela formação que vai acontecer no próprio programa. É o caso, por exemplo, dos futuros integrantes da Orquestra Sinfônica Juvenil Carioca – atualmente com inscrições abertas para o processo de seleção dos 50 participantes.

No dia 22 de novembro, os jovens ‘músicos’ da Orquestra Sinfônica Juvenil Carioca e do Programa Orquestra nas Escolas se encontram para presentear o público carioca com concerto de estreia, na Cidade das Artes, com a participação de Daniel Jobim e da Orquestra de Vozes, entre outros. No dia 1º de dezembro, os pequenos artistas realizam o Concerto de Natal e em seguida levam seus talentos até igrejas, à Alerj e outros espaços especiais da cidade.

Em 2018, mais 22 polos serão integrados ao Orquestra nas Escolas, atingindo, então, 45 mil alunos. Projetado no primeiro semestre, o programa conta com total apoio e envolvimento do secretário municipal de Educação, César Benjamin, e tem em um de seus pilares as parcerias, como a do coordenador do curso de Licenciatura de Música da UFRJ, professor Celso Ramalho, hoje orientador pedagógico da iniciativa.

– Ele adorou a missão. Vamos conectar o pensamento da Academia às nossas práticas. Vamos sempre buscar as boas práticas experimentadas e bem-sucedidas. Dando formação musical aos alunos, também estamos qualificando. É uma roda que não pode parar – concluiu Moana.

 

 

Comentários

comentários