Agricultores do Mendanha e Rio da Prata podem fornecer alimentação escolar

Os agricultores do Rio da Prata e do Mendanha tem mais uma oportunidade de aumentar seus negócios via programa do município que prioriza os pequenos produtores.

A Secretaria Municipal de Educação (SME) abriu convocação pública para aumentar a participação da agricultura familiar e orgânica no fornecimento de gêneros alimentícios para alimentação escolar. Poderão participar dessa chamada pública fornecedores individuais e grupos de produtores (informais e formais). Ela visa o fornecimento de 48 gêneros alimentícios orgânicos e 49 convencionais, entre frutas, legumes e verduras, por um período de 12 meses. O valor total da compra é de R$ 55, 8 milhões.

A Prefeitura do Rio serve mais de 1 milhão de refeições por dia a seus 650 mil alunos, distribuídos em 1537 escolas. Somente em 2016, foram gastos R$ 178 milhões com refeições a crianças e jovens. A estimativa este ano é de investir R$ 190 milhões em alimentação para os estudantes. Com a compra pelo município, os pequenos agricultores do Estado do Rio de Janeiro passam a ter um mercado certo para a venda de seus produtos.

– Compraremos tudo que produzirem – disse o secretário municipal de Educação, César Benjamin, para quem o uso do poder de compra da SME, política implementada no início do ano, vai ter um efeito multiplicador social muito grande.

Os agricultores foram esclarecidos sobre a chamada pública, em reunião realizada no dia 3 de agosto, em Campo Grande. Os interessados em participar da venda de gêneros alimentícios à rede de escolas do município devem entregar a documentação necessária até o dia 20 de outubro, das 10h às 16h, na Rua Afonso Cavalcanti, 455, 4º andar, sala 449. No dia 23 de outubro, a entrega deve ser feita de 10h às 14h.

Mais informações podem ser obtidas na SME, pelo telefone 2976-2112, ou no escritório local da Emater/Rio.

Comentários

comentários