Comissão de Educação da Alerj discute com a Uezo orçamento 2018

No dia 04 de outubro de 2017, às 10h, no palácio Tiradentes aconteceu a reunião da comissão de educação da ALERJ, com a UEZO, sobre a LOA de 2018, que desta vez foi discutida individualmente com as instituições.

O presidente da comissão, Comte Bittencourt, começou fazendo uma retrospectiva sobre a atuação desta comissão junto a UEZO. Em seguida o presidente concedeu a voz a Magnifica Reitora Maria Cristina de Assis, que começou agradecendo a oportunidade de poder discutir as demandas da UEZO e reforçou a importância desta comissão.

A Reitora mostrou a importância da instituição na Zona Oeste, que possui uma população que representa 41,36% do total do município do RJ, no entanto possui um baixo IDH. E para finalizar foram apresentadas pela Magnífica Reitora as principais demandas, como a posse de 18 docentes que foram aprovados em concursos (2014 e 2015), a aprovação das alterações da lei de criação da UEZO (lei 5380/2009), a aprovação do plano de cargos e carreiras e a construção do Campus, além da apresentação da solicitação feita ao governo para o orçamento de 2018 (aproximadamente 29 milhões) onde o governo autorizou aproximadamente 22 milhões e ainda com possibilidades de contingenciamentos futuros.

Ao final da fala da Reitora, o presidente Comte, disse que os números da UEZO são ainda piores e ressaltou que em 5 anos, 75 milhões foram contingenciados, que representa aproximadamente 3 orçamentos da instituição.

Após isso, foi a vez da Magnifica Vice-Reitora Luanda Silva de Moraes se pronunciar, que começou agradecendo também a presença de representantes da sociedade civil e listou alguns dos prêmios recebidos por docentes e discentes da UEZO.

A pró-reitora de graduação Vânia Muniz, falou sobre sua preocupação com a formação dos alunos, que precisam de professores valorizados.

Os Representantes do SINTUPERJ, Jorge Luís Mattos e Loana Pessanha, lembraram que o governo cedeu a uma empresa automobilística um terreno e questionaram como não podem fazer o mesmo para uma universidade e finalizaram lembrando que a crise só pode ser resolvida com educação.

Yipsy Roque Benito presidente da ADUEZO, lembrou da obrigação da educação pública, gratuita e de qualidade, Thamyres Vianna representante do DCE ressaltou sobre a evasão dos alunos e dos professores. E em seguida foi dada a voz para os representantes da sociedade civil de Campo Grande, que demostraram todo apoio a instituição e refletiram sobre os investimentos feitos pelo governo, e concluíram que fica claro a desvalorização do governo para o ensino público de qualidade.

E para finalizar a reunião os deputados discursaram em apoio a UEZO.

Comentários

comentários