Passarela assusta em Campo Grande

Varias peças que protegem o encontro das placas de concreto foram roubadas

A passarela que liga os lados sul – Rua Engenheiro Trindade – e norte – Rua Campo Grande – na altura do Viaduto Alim Pedro, no centro do bairro, está assustando os transeuntes no local. Quem passa por ela todos os dias percebe o movimento das placas de concreto que compõe o equipamento urbano. ” Andando, só quem passa todos os dias percebe, mas quem para, percebe facilmente o balanço”, disse a advogada no caminho rotineiro do Fórum. As opiniões dos camelôs que trabalham no local são diferentes. “Acho normal, trabalho há 26 anos aqui, esse balanço e natural”; “isso é um sinal de que a passarela precisa de reparos, e só ver o cimento desgastado e a falta de algumas peças”, debatem.

Jorge provou que o balanço é real

Os transeuntes do dia-a-dia acham arriscado usar um equipamento antigo, sem manutenção, e com funcionamento duvidoso. Jorge que passa todos os dias em direção ao supermercado apontou o espaço entre uma placa e outra, visível de longe, e colocou o dedo entre elas para sentir o contato provocado pelo movimento. ” olha! Com o movimento as placas apertam meu dedo, isso vai se agravar! “,  profetizou. Assustado, Jorge provou que o risco é real provocando um movimento mais forte. O Superintendente Regional de Campo Grande Jorge Amaral, questionado sobre qual órgão da prefeitura trataria do caso, disse que pedirá uma vistoria no equipamento.

Comentários

comentários