Aluno de Guaratiba conheceu de perto o dia a dia do MPRJ

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da Assessoria de Direitos Humanos e Minorias (ADHM/MPRJ), em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) , recebeu, nesta sexta-feira (10/11), dez adolescentes para conhecerem de perto o trabalho realizado no dia a dia da instituição. Em uma conversa informal no gabinete do procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussem, foram abordados temas que afetam a vida dos jovens e a atuação do MPRJ na defesa de seus direitos.
“Nós queremos que vocês saiam daqui entendendo um pouco mais sobre cidadania, que é uma parcela dos direitos que vocês têm e que, às vezes, nem sabem. A partir daí, vocês vão poder buscar melhores condições para a nossa sociedade”, afirmou Gussem, que respondeu às diversas perguntas formuladas pelos jovens, traçou um panorama resumido do trabalho desenvolvido no MPRJ e a posição que a instituição ocupa na sociedade.
“Desde 1988, o Ministério Público tem o dever constitucional de defesa do cidadão. Esse talvez seja o nosso principal desafio e a nossa principal missão”, esclareceu o PGJ, explicando que a Constituição de 1988 fez com que o Ministério Público passasse a ter uma atuação mais voltada para os direitos transindividuais, para a defesa dos direitos sociais e interligada com a construção de políticas públicas.
“Tudo o que vocês veem no dia a dia, na escola, nos postos de saúde e na gestão pública, de forma geral, passa pelo Ministério Público. Com a Constituição de 1988, nós ganhamos a função de defender e proteger esses direitos sociais indisponíveis. Nós lutamos muito por isso”, enfatizou.
Com essa visão voltada para os direitos sociais, Gussem falou da modernização que a instituição vem promovendo. “Estamos nos modernizando, principalmente em termos tecnológicos, para poder agir com mais rapidez e eficiência. Eu quero compartilhar isso com vocês. Acho que eu posso ensinar muito a vocês, mas tenho muito o que aprender também”, disse o procurador-geral aos adolescentes.
Sobre essa troca de experiências, o estudante Patrick Pereira viu na visita ao MPRJ uma rara oportunidade. “É um espaço que nunca foi aberto para a juventude. Estar aqui e conversar com o procurador-geral é algo inédito pra mim”, observou o morador de Guaratiba, de 16 anos.  “Espero que essa juventude que está aqui ocupe espaços de controle social. Assim como o Ministério Público faz na questão da manutenção dos direitos e construção das políticas públicas, nós, enquanto jovens, também temos que pressionar o poder público no que diz respeito às políticas públicas e na defesa dos nossos direitos”, disse o estudante do 1º ano do ensino médio, que planeja cursar a faculdade de Ciências Sociais.
A assessora e a assistente da Assessoria de Direitos Humanos e Minorias (ADHM/MPRJ), promotoras de Justiça Eliane de Lima Pereira e Roberta Rosa, respectivamente, foram as responsáveis por acompanhar os adolescentes pelas dependências do MPRJ para que eles conhecessem o trabalho realizado em diversas áreas, mais especificamente nas áreas de violência doméstica, infância e juventude e educação . Os jovens também foram conhecer de perto o funcionamento do “MP em Mapas”.
Durante a conversa com Gussem foram abordados temas como drogas, violência, educação, racismo, cultura, direito e esportes. Eliane Pereira identificou nesse debate uma ótima oportunidade para enriquecer a atuação do MPRJ. “A criança e o adolescente são um tema central no trabalho do Ministério Público.  É muito importante para a gente saber quem são vocês, quais são suas aspirações, desejos, sonhos e sofrimentos. É fundamental que a gente tenha esse contato direto e trabalhe com a perspectiva da realidade de vocês”, disse aos jovens.
Antes de visitar a sede do MPRJ, os estudantes participaram de um almoço de confraternização oferecido pela Associação do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (Amperj) em sua sede. O presidente da Amperj, Luciano Oliveira Mattos de Souza, recebeu os estudantes e discorreu sobre o trabalho que a  instituição realiza na defesa dos membros do MPRJ e de suas prerrogativas.  “É muito bom ter vocês aqui. A Amperj está sempre aberta ao diálogo e o diálogo institucional mais produtivo é aquele que é realizado com a sociedade”, destacou.
A oficial de comunicação do Unicef, Immaculada Pietro, explicou que a visita desta sexta-feira foi um evento preparatório para o Dia Mundial das Crianças, comemorado em 20 de novembro. “Essa é uma ação conjunta do Unicef e do Ministério Público do Rio de Janeiro. É um primeiro momento que a gente está preparando para um dia muito especial que é o Dia Mundial da Criança, uma data de celebração, também voltada para os direitos das crianças e para chamar a atenção para a realidade delas”, disse.
Lais dos Santos, estudante do 3º ano do ensino médio, valorizou os conhecimentos adquiridos na sede do MPRJ. “Adorei a visita. Teve um conteúdo bastante rico. Para nós, que estamos construindo a nossa formação, é muito boa essa troca de experiências com personalidades tão importantes”, afirmou a moradora de Guadalupe, de 18 anos.

Comentários

comentários