Carta – Dalberto Gomes

QUANDO SAUDADE DE TI, MANO!

Mês de novembro se encerrou
Muitas lembranças dos novembros passados ficaram , por que não dizer, eternizaram-se.
Novembros em que me lembro passamos juntos nos palcos , nas esquinas, nos bares, faculdades , colégios e tertúlias por esse Rio de Janeiro afora
Eu com a poesia , você com a música
Mês da Consciência Negra
“Upa! neguinho na estrada”
você a cantar , eu a declamar
“Upa pra lá e pra cá”
Esse seu violão, companheiro implacável
esse timbre de voz peculiar .
“vixe ! que coisa mais linda”
você era lindo , negão Marcos Damasceno
Agarrado na viola, olhos semicerrado
“Começando andar, começando andar ”
E não parou mais
Foi para o paraíso
trocou o violão, seu companheiro inseparável na terra
por uma harpa angelical.
Saudades…

Comentários

comentários