Campo Grande caminhou contra a intolerância religiosa

O Coletivo “Tudo Numa Coisa Só” , o Clube de Estudos Bíblico de Campo Grande e a “Comissão de Combate à Intolerância Religiosa” realizaram no último sábado (09-12), a primeira Caminhada pela Diversidade e Respeito Religioso. A concentração aconteceu na Rua Amaral Costa junto à linha férrea, de onde centenas de religiosos e adeptos partiram em direção a Paróquia Nossa Senhora do Desterro, na mesma rua, final do trajeto.

Ainda na concentração lideranças religiosas e representantes de várias entidades discursaram sobre o tema e apresentaram seus cantos e danças. Durante o trajeto esticaram faixas e proferiram palavras de ordem.


O Grupo de Dança Mariana oriundo de Santa Cruz – Santa Veridiana -, foi representado por Adriana, coordenadora da Comissão Arquidiocesana do Rio – Pastoral Afro do Rio de Janeiro – que fez todos dançarem uma Ciranda.

A Ciranda do Grupo Mariana
A Capoeira

Na sequência teve o Axe da Mãe de Santo Margareth Labanca do Auto Cachamorra. A Capoeira também foi apresentada com maestria e muita animação. O discurso do Babalaorixa Ivanir Santos criticou a intolerância do poder público com as religiões;

O discurso do Padre André
Bispo Gilmar Garcez 2* a esquerda; Pai Osvaldo Mutale à direita

Padre André da Igreja Nossa Senhora da Conceição, em Guaratiba, fez referência a Pastoral Afro e convidou todos a participarem da Missa Afro; o pastor Vitor Louredo da Igreja Evangélica Gae – Grupo de Ações Evangelísticas- Missões Urbanas, do Conjunto Campinho, em Campo Grande, derivação progressista da denominação Batista, defendeu princípios baseados no amor e na liberdade; o Bispo Gilmar Garcez da Igreja Mórmon fez uma caminhada discreta junto a faixa oficial do evento.


Ícones do sentimento religioso participaram ativamente do evento, entre eles o Pai Yango da Comissão de Combate a Intolerância Religiosa, o líder espiritual Pai Osvaldo Mutale do Inzo Ia Mutale e a Mãe de Santo Jupira de Ewa – Cosmos -.

Comentários

comentários