Corrida de São Silvestre veio para a Zona Oeste

Para um atleta o resultado de uma competição nem sempre é o que mais importa, são variados, improváveis e de valores imensuráveis. No calor de uma prova tudo pode virar troféu, medalha, prêmios, depende da oportunidade.

Guia Paulo, Elias e Leir exibem suas medalhas

Nesta última corrida de São Silvestre Elias Moniz, atleta de Senador Camará, viveu esta experiência intensamente. Apaixonado pelo atletismo e frequentador assíduo das diversas corridas de rua da cidade e até do país, sempre preocupado com o melhor tempo, ele se sentiu o grande vencedor da Maratona, mesmo que invisível para os administradores e espectadores: “seu podium foi o mais alto, sua medalha foi de ouro, seu troféu o maior e mais reluzente”: se chamou Leir, um amigo campograndense a muito distante, que buscou no atletismo o conforto para a sua “deficiência visual” e também corria a São Silvestre acompanhado do seu guia. Ao avista-lo Elias Moniz venceu a prova, esquecendo seu tempo e vivendo intensamente a oportunidade de estar com o amigo. Leir pensava simplesmente em completar a prova, mas surpreendido, também se sentiu vencedor e cruzou a linha de chegada junto com  Elias, marcando o melhor tempo do mundo.
Valeu o reencontro e a companhia.

Comentários

comentários