Conselho Comunitário destacou o 40o BPM

 

A reunião ordinária mensal do Conselho Comunitário da 40 AISP, em Campo Grande, aconteceu na manhã do dia 29 de junho, no auditório da Universidade Candido Mendes, no mesmo bairro-cidade.
O clima político que se avizinha influenciou parte da reunião que deu voz a um juiz federal pré-candidato ao governo do estado e a alguns representantes de candidatos a deputado que defenderam a implantação de colégios militares da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros na região.


Na pauta da reunião, Raymundo Lopes, representando o Grupo RGV de ciclistas, reiterou pedido feito ao Conselho, e caso as placas de sinalização de trânsito para ciclistas não sejam instaladas, prometeu trazer um grande número de ciclista para cobrar na reunião e acionar o Ministério Público;

Ademir Rocha cobrou da Polícia Militar ação contra os eventos promovidos por donos de bares e quiosques do Magali e Largo das Capoeiras que ocupam o espaço público desordenadamente e até orientam multas a carros de moradores.


O Comandante do 40o Batalhão de Polícia Militar coronel Freitas disse que conhece o problema e faz o que pode com o efetivo que tem – 16 viaturas e uma tropa pequena – , acrescentando uma pergunta: Quem deu alvarás a eles? Disse ainda, que a mudança do Batalhão para a Estrada do Mendanha resolverá 50% dos problemas, citando a influência de marginais da Vila Kennedy, Vila Aliança e de Santa Cruz que acessam o bairro-cidade facilmente pela Avenida Brasil. O comandante aproveitou para anunciar parceiros da iniciativa privada que estão ajudando na recuperação das futuras instalações do 40o BPM e pedir mais.

Falaram também: o vereador Rogério Rocal que pediu licença do Conselho a partir de julho para evitar usar o espaço como veículo da campanha política. ” aproveito para criticar os papagaios de pirata que defenderam aqui os colégios militares; a proposta é minha”, garantiu; e o representante do Ministério Público Estadual que pediu um mutirão pelas crianças.

 

Comentários

comentários