Drama no Distrito Industrial de Santa Cruz

A Aedin – Associação das Empresas do Distrito Industrial de Santa Cruz vive há mais de uma década com a responsabilidade de garantir à suas associadas e respectivos colaboradores, clientes e fornecedores, conforto e segurança no Distrito. O maior desafio tem sido manter em boas condições a mobilidade urbana, uma vez que 800 caminhões e 550 ônibus, além e carros de passeio, motos e bicicletas, trafegam diariamente pelo local num asfalto bastante danificado.
A Aedim gasta por mês aproximadamente 50 toneladas de agregado siderúrgico para tapar os buracos do asfalto do Distrito Industrial de Santa Cruz: um improviso para evit ar o caos. Ciclistas e pedestres circulam sem a devida proteção pois faltam coberturas nos pontos de ônibus. Enquanto isso, a prefeitura diz que não tem verba – pouco mais de 6 milhões de reais – para executar a obra de recapeamento asfáltico do Distrito solicitada recentemente pela entidade, que representa 17 empresas que sustentam quase trinta mil postos de trabalho.
Em reunião realizada no gabinete do prefeito no dia 2 de maio, ficou combinado que no dia 10 voltariam a se reunir com mais elementos para uma tomada de decisão, porém, a data foi cancelada.
O distrito arrecada anualmente aos cofres da prefeitura, entre IPTU e ISS, a quantia de 38 milhões de reais. O custo da obra é de aproximadamente 8 milhões de reais.

Comentários

comentários