Projeto de Zico garante o Futebol da Zona Oeste – Campo da Associação Atlética Guaratiba

No mesmo mês em que propôs o tombamento dos Campos do Bangu Atlético Clube, Estádio Proletário Guilherme da Silveira Filho – Moça Bonita -, localizado na Rua Sul América, 950, Bangu, e do Estádio Ítalo Del Cima, campo do Campo Grande AC, localizado na Rua Artur Rios, 1270 – Campo Grande -, o vereador Zico (PTB) apresentou à Camara de Vereadores, no mês de outubro passado, um Projeto de Lei que tomba, também, pelos VALORES HISTÓRICOS, SOCIAIS, CULTURAIS E ESPORTIVOS, vários campos de futebol na Zona Oeste. São eles: Campo da Vila Moreti – Estrada da Água Branca, n° 5.920 em Bangu;
Campo do Clube Recreativo dos Industriários de Bangu – CREIB, Rua Marechal Marciano s/nº. – IAPI – , em Padre Miguel; Campo do Mangueiral – Rua Quatro com Travessa Um – Vila Aliança – , em Bangu; Campo da Vila – Avenida Central s/nº – , na Vila Kennedy; Campo do Selva – Rua A com Rua Marinho Rego e Rua Murilo Braga – Conjunto Miguel Gustavo – Selva de Pedra – , em Senador Camará; Campo do Camará – Rua José Felix com Rua Abel – , em Senador Camará; Campo do Quiruá – Rua Eua Volga com Rua Ceilão – Rio da Prata – , em Bangu; Campo do Beira-Rio – Estrada do Lameirão, nº 1001 – Santissimo; Campo da Marinha – Estrada do Cabuçu, nº 4759 – Rio da Prata – Campo Grande; Campo do Diana – Rua Santo Sigfrido com Rua Spinoza – São Jorge – Campo Grande; Campo do Flama – Rua São Jorge, s/nº – Largo do Correia – Campo Grande; Campo do Chacrinha – Rua Raul Cortes com Rua Compositor Moacir Santos – Campo Grande; Campo do Colonial – Rua Horto Florestal, 83 – Santa Cruz; Campo São Basílio – Rua Santa Doratéia com Rua Senador Lineu Prestes Barbosa – Campo Grande; Campo do 7 de Abril – Rua Pedra do Sino, nº 659 – Paciência; e Campo da Associação Atlética Guaratiba – Estrada do Magarça, nº 3632 – Guaratiba.
O vereador Zico falou sobre a importância do projeto: ” O tombamento é uma das iniciativas possíveis de serem tomadas para a preservação dos bens culturais, ambientais e esportivos, na medida que impede legalmente a sua destruição e descaracterização, defendendo-os dos empreendimentos imobiliários do tipo Minha Casa, Minha Vida, e do ocorrido com o Luso Brasileiro, Estrela do Oriente e o Clube dos Sargentos, entre outros.
É necessário deixar claro que aquele que ameaçar ou destruir um bem tombado está sujeito a processo legal que poderá definir multas, medidas compensatórias ou até mesmo a reconstrução do bem como estava na data do tombamento dependendo do veredicto final do processo.
Os empreendimentos imobiliários têm avançado sobre as areas de lazer apagando as histórias dos moradores e deixando um rastro de concreto. Acreditamos na necessidade do erguimento das habitações, mas não sem levar em conta a história, a cultura e o lazer de toda uma população, como tem sido feito até então.
Conto com o apoio dos meus pares para a aprovação desta Lei”, finalisou o vereador.

 

Comentários

comentários