Conselho Comunitário de Segurança começa atividades em 2019

O CCS – Conselho Comunitário de Segurança da 14a AISP, região do 14o BPM – Batalhão Polícia Militar – e das 34a e 33a DP – Delegacias de Polícia, Bangu e Realengo, respectivamente, realizou na última quinta-feira (31.01), no auditório da 29a Subseção da OAB, em Bangu, a primeira reunião do ano.
O presidente Sales Moreno iniciou os trabalhos apresentado sua diretoria: Cândido Rodrigues, vice-presidente; Carlos Alvarenga, primeiro secretário; Jorge Eduardo, diretor social e Alberto Carlos, segundo secretário. A seguir montou a mesa dos trabalhos com Claudete Capella, presidente anfitriã; Reginaldo Guilherme, delegado titular da 33a DP Realengo; Ricardo Regis, presidente do Conselho Nacional dos Gestores de Seguranca; Willian Bahia, presidente da Comissão de Seguranca da OAB Bangu; Capitão Gomes representante da Primeira Divisão do Exército e o Coronel Arlem, comandante do 14o BPM.
A assembleia formada por 56 representantes oriundos da Vila Kennedy, Vila Vintém, Camará e Realengo, entres outras localidades, solicitou policiamento para a Rua Limites em Realengo, Avenida Santa Cruz, altura da Universidade Castelo Branco; caçambas de lixo para a comunidade Minha Deusa, na Estrada Manoel Nogueira de Sá, também em Realengo, e segurança para os usuários do Portal Piraquara do Parque Estadual da Pedra Branca, no final da Rua do Governo, ainda em Realengo. Em Bangu, o líder comunitário e político Marcelo Carcelo acusou carroceiros de sujarem a Rua da Feira no trecho próximo ao Bangu Shopping, e delinquentes de roubo a transeuntes. Todas as solicitações foram encaminhadas aos delegados e ao comandante do 14o BPM que prometeram solução, porém, sugeriram orientar a população registrarem os fatos. Diante das queixas de que um registro Policial pode demorar muitas horas para serem efetuados as autoridades sugeriram ainda o registro virtual através do site.

Os momentos relevantes da reunião foram marcados pela fala do Cel. Arlem que orientou às lideranças comunitárias a insistirem no pedido de implantação da tecnologia de reconhecimento facial no 14o BPM, já existente em outros batalhões;

do Dr. Reginaldo Guilherme – delegado da 34DP – há quinze dias no cargo, que mostrou-se entusiasmado com a qualidade da reunião; da presidenta Claudete Capella Claudete que prometeu participar de forma enfática de todas as questões que envolvem a segurança da região; do assessor da 33a Administração Regional de Realengo, Rubens Ricardo – Rubinho -, que defendeu a gestão Crivella cobrando responsabilidade social da comunidade e do Policial Marcelo, representante do delegado titular da 34a DP Bangu, Roberto Cardoso, que pediu mais uma delegacia para Bangu. Todas as falas tiveram como base a dificuldade para se fazer um registro policial.