Brinquedinho virtual

O que era para ser um veículo possante e seguro virou um piada de mau gosto.
Nós inocentes, achamos que com a internet estaria resolvido nossos problemas relativos ao conhecimento e a informação, que poderíamos confirmar a origem e a qualidade da pesquisa, e que as fontes das informações seriam identificadas para possíveis checagens.
E é assim mesmo, só que para os educados, responsáveis, profissionais e bons carácteres, que são uma parcela mínima dos internautas. Mesmo alguns enquadrados nessa classe não entende bem a internet, acha que é possível embarcar nesse veículo e pedir para desembarcar como se houvesse tempo, não acreditam que a viagem é rápida e fatal, começando e terminando a todo instante, e acabam engrossando o cordão daqueles que enxergaram na internet uma forma de ser o que não é e não ser o que verdadeiramente é.
Para a maioria dos internautas a internet não é de ninguém, e por isso foi invadida por pessoas que não tem compromissos sociais, não tem projetos, são aventureiros e exploram a vitória alheia; por pessoas doentes que entendem a internet de uma forma minúscula, descartável e irresponsável; por pessoas que não vão se qualificar só pela velocidade que tiver na rede, antes de embargar tem que se preparar, adquirir valores.
É compreensível que ninguém é perfeito e que, de uma forma ou de outra, pode estar a qualquer momento incluído no rol dos perfis citados, com um grau maior ou menor de mal comportamento.
Nesse cenário, é preciso estar atento para não decepcionar nem ser decepcionado.
Já percebeu quantos pessoas você só conheceu verdadeiramente pelo que ela falou ou fez na internet sem nunca ter feito com, ou dito a alguém ao vivo?

Já percebeu quantas pessoas ou personagens usam a rede para falar o que lhes interessa sem compromisso com a verdade?
Já percebeu quantas pessoas ou personagens pedem desculpas depois de usar mal a rede achando que é capaz de reverter o mau que fez?
Já percebeu que estas pessoas ou personagens tem presença frequente na rede com mensagens repetitivas ?
Já percebeu que você acaba achando, em ałgum momento, que conhece essa pessoa ou personagem?

Nem por isso você deve desistir da internet. Ela é apenas um veículo capaz de multiplicar por muitas vezes o que você fez ou escreveu ou gravou. Ela não te constrói nem destrói, apenas te multiplica.
Apesar de ser sermos um país com o um dos maiores números de internautas no mundo, também somos mal educados, desinformados e induzidos ao erro por um governo corrupto e sem valores sociais.
Portanto, tente melhorar, invista em você, mas conte com seu próximo, muitas cabeças sempre evitarão erros previsíveis. A internet é reflexo da sociedade.