Cria da Vila Olímpica Oscar Schmidt em Santa Cruz é promessa para Tóquio

Foi na Vila Olímpica Oscar Schmidt, em Santa Cruz, que Lorraine Martins começou a engatinhar no atletismo, em 2011. De passada em passada, tornou-se uma das maiores promessas do esporte, e, em plena evolução, esteve nos Jogos Pan-Americanos de Lima, em agosto, quando conquistou medalha de ouro no revezamento 4x100m rasos ao lado de Vitória Rosa, Rosangela Santos e Andressa Moreira Fidelis, com o tempo de 43s04, o melhor da temporada.

A velocista começou no esporte correndo longa distância, encurtou o caminho até o ouro e, aos 19 anos, já disputou três mundiais – ficou em quarto lugar nos 100m e 200m, no Quênia, em 2017. No Sul-Americano da Colômbia, em junho, Lorraine já havia apresentado seu cartão de visita para o Pan: venceu os 100m e 200m, e também o revezamento 4x400m. E, ainda, foi segunda colocada no 4x100m.
– Faço parte do grupo que está sendo observado para os Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio – diz, orgulhosa, a corredora, já de olho também no ano olímpico: – Meu maior sonho é escrever meu nome na história do atletismo brasileiro. Sei que sou muito nova, mas se em 2020 eu não estiver na Olimpíada, em 2024 estarei lá, com certeza.

A velocidade com que vem quebrando marcas pessoais não impede Lorraine de olhar para trás:
– Foi através de um projeto educacional feito pela Prefeitura que o meu sonho começou. É sempre bom lembrar onde tudo começou – diz ela, que até hoje faz questão de marcar presença na pista da Vila Oscar Schmidt, onde aproximadamente 70 crianças treinam com o sonho de seguir seus passos.