Campo Grande lutou pelo Fórum Regional da Justiça Federal

A OAB Campo Grande realizou na tarde da terça-feira (01), na Rua Manaí, em frente ao Foro da Justiça Federal em Campo Grande, um ato público onde defendeu a permanência da Vara Federal que abriga 5 Juizados Especiais Cíveis na região.
O Tribunal Regional Regional planeja a transferência do Foro para a Av. Chile, no centro da Cidade.
“É lastimável o que está pra acontecer, e principalmente na surdina, só soubemos a três dias, a questão não está em pauta, mas pode entrar, e a qualquer momento poderemos não ter mais Justiça Federal em Campo Grande”, lembrou o vice-presidente da 29a Subseção da OAB Campo Grande, Fabrício Ranauro.
O motivo da possível transferência é a falta de recursos financeiros. O presidente da OAB Campo Grande, Advogado Rodrigo Plaza, mostrou toda a indignação da sociedade da Zona Oeste e região com a medida que vai deixar de assistir mais de um milhão e meio de pessoas, muitas vindas de outros municípios como Seropédica, Mangaratiba e Itaguaí. “75% dos processos que tramitam no Foro são de ações previdenciárias que dependem de perícia – 5.000 perícias são realizadas anualmente-, essas pessoas terão que se deslocar por até 70 Km, 4hs; vamos lutar contra essa decisão, queremos debater o assunto e criar alternativas que não sacrifiquem a população, temos opções mais baratas para manter a Justiça Federal em Campo Grande, a prefeitura do Rio já sinalizou com a cessão de um imóvel”, disse Rodrigo Plaza que espera conseguir tempo para discutir a questão. Segundo ele a sociedade local está sendo desrespeitada no seu direito constitucional.
O evento contou com a participação de centenas de advogados, Federação dos Judiciários Federais, Sindicato dos Servidores Públicos das Justiças Federais do Estado do Rio de Janeiro, Câmara Comunitária local, Conselho Comunitário Local, Associação Empresarial de Campo Grande e cidadãos comuns.
Guilherme Eisenlhor, presidente da Associação Empresarial lembrou os números positivos da economia local e a importância da Justiça Federal para o bairro-Cidade; Luiz Carlos Dentinho presidente da Câmara Comunitária sugeriu a realização de outros atos no centro da Cidade; Adriano Macias presidente do Conselho Comunitário de Segurança anunciou o apoio de vereadores e deputados federais que estão dispostos a recorrer ao Conselho Nacional de Justiça contra a decisão; Ademir Ramos anunciou o discurso do deputado federal Paulo Ramos, em Brasília, a favor do movimento; a diretora do Sindicato dos Servidores, Eunice Barbosa disse: Estamos do lado dos servidores e entendemos que haja uma redução de despesas, mas temos que buscar alternativas com menor impacto social, através de reuniões com os servidores e posteriormente com a administração, buscaremos recolher sugestões que atendam os dois lados.
A organização do movimento vai fazer uma petição pública e planejar ações contra a medida do TRF. #justicafereral é o primeiro endereço eletrônico do movimento.

Passado alguns dias do fato, o presidente da OAB Campo Grande Rodrigo Plaza atualizou as informações dizendo que o Tribunal Regional Federal ainda não pautou o assunto e está conversando com o Sindicato da classe, e em caso de decisão desfavorável, novos manifestos serão feitos, e desta vez no centro da Cidade.