Rio+Seguro chegará a Campo Grande em abril

O Rio+Seguro completa dois anos de ótimos resultados no combate à criminalidade e no aumento da sensação de segurança em Copacabana, Leme e Ilha do Governador, e chegará a Campo Grande no próximo ano.
Conduzido pela Secretaria municipal de Ordem Pública (Seop), o programa apresenta um conceito amplo de segurança. Guardas municipais e policiais militares – contratados na folga pela Prefeitura do Rio – atuam no patrulhamento diário e também em ações conjuntas de ordenamento urbano, envolvendo diversos órgãos municipais. Ao logo dos dois anos, foram 9.482 ocorrências da Guarda Municipal com esse foco. As apreensões somam 11.998 produtos piratas, 383 facas e 38 aparelhos de clonagem de cartão. Foram doadas a instituições de caridade mais de nove toneladas de frutas apreendidas do comércio irregular. E realizados 11.812 atendimentos à população em situação de rua.
O programa deve empregar efetivo de 840 agentes, divididos em turnos, em Jacarepaguá e Campo Grande. A estimativa de investimento é de R$ 3,8 milhões, custeados por associações comerciais locais e pelo Fundo Especial de Ordem Pública (Feop).
Diferentemente do modelo atual – com adesão de policiais militares na ativa, contratados no período de folga por meio do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis) –, o Rio+Seguro Campo Grande eJacarepaguá contarão também com bombeiros e policiais militares e civis aposentados e da reserva.