SMTR se destacou na fiscalização mas não resolveu os problemas em 2019

A Secretaria Municipal de Transportes realizou, ao longo do ano de 2019, cerca de 960 ações de fiscalização com foco no Sistema de Transporte Público por Ônibus em diversos pontos da cidade, incluindo mais de 40 vistorias em garagens, a maioria na Zona Oeste. O objetivo das ações foi verificar as condições da frota operante, frequência das linhas e demais obrigações contratuais por parte dos consórcios.

Entretanto o resultado foi desesperador. Em Campo Grande, nos sub bairros do Rio da Prata, Mendanha, Carobinha, Santa Margarida, Vila Nova, entre outros, os problemas identificados continuam sem soluções. O mesmo se pode dizer dos sub bairros de Santa Cruz – Guandu, Palmares, Jesuítas, São Fernando e Base Aérea, entre outros, além de Pedra de Guaratiba e Sepetiba.

Durante este ano, a pasta aplicou 8.693 multas aos consórcios atuantes na cidade por diversas irregularidades, principalmente na Zona Oeste – Santa Cruz, Campo Grande, Bangu, Realengo -. As mais recorrentes foram: ônibus com vistoria vencida, circulação com frota abaixo do determinado, inoperância de linhas e má conservação (que inclui o não funcionamento do dispositivo de acessibilidade, bancos rasgados, pneus sem frisos, defeito no ar-condicionado e vidros rachados).

O consórcio que recebeu mais autuações foi o Santa Cruz, contabilizando 2.660 multas ao longo do ano.

O problema é recorrente há décadas e mostra que os políticos da região da não discutem a questão pra valer, beneficiando dele para continuar prometendo soluções.